Iveco Tector ganha potência e conforto

0

Semipesado tem agora 41 versões e preços que variam de R$ 147 mil a R$ 255 mil

Chegaram às concessionárias em maio os novos Iveco Tector, com os quais a Iveco quer ampliar participação no segmento de semipesados, que responde por 35% das vendas de caminhões no Brasil – 60 mil unidades em 2011. Os modelos ganharam mais potência e agora têm opção de cabine-leito com teto alto.

Os preços variam de R$ 147 mil para o modelo Attack, de entrada, até R$ 255 mil para o Stradale. “Esperamos vender este ano de 4.500 a 4.800 Tector, contra as 4.300 do ano passado”, projetou Alcides Cavalcanti, diretor comercial da Iveco. O líder deste segmento é o Volkswagen Constellation 24-280 (antigo 24-250).

A Iveco espera ampliar sua participação no maior segmento de caminhões do Brasil

Na cerimônia de lançamento, realizada na Bahia, a Iveco reuniu nada menos que mil vendedores da rede numa convenção marcada pela expectativa de retomada das vendas no segundo semestre, depois da queda registrada por todas as marcas nos primeiros quatro meses do ano. “Pelo menos o telefone voltou a tocar”, animou-se o consultor de vendas Paulo Sérgio de Souza, da concessionária Priore, de Araçatuba (SP).

A nova geração de semipesados Iveco Tector e Iveco Tector Attack pode ser configurada em 41 versões, a partir de três tipos de cabine (curta, leito e leito teto alto), motores Iveco FPT de 218 cv e 280 cv, três opções de transmissão (de seis, nove e 10 velocidades), três tipos de tração (4×2, 6×2 e 6×4) e quatro distâncias de entre-eixos.

A estratégia de ampliar a gama e criar uma versão de baixo preço nasceu de pesquisa realizada junto aos clientes de semipesados. “A nova geração Iveco Tector foi desenhada para encaixar-se ao mercado dos semipesados como uma luva, em benefício dos clientes”, explica Marco Mazzu, presidente da Iveco Latin America.

Um exemplo é o Iveco Tector 6×2, para 23 toneladas de PBT, com opção de cabine-leito teto alto, suspensão de cabine mais macia, novo painel de instrumentos e ar-condicionado de série. Em mais de 60% dos casos, o motorista do semipesado 6×2 é dono do caminhão, e enfrenta médias e longas distâncias, típicas desse tipo de veículo.

Com 65% das vendas de semipesados, os modelos 6×2 também precisam de força e baixo consumo de combustível e, assim, o modelo tem motor de 280 cv com ampla curva de torque e opção da transmissão ZF Ecomid de nove marchas com engate tipo “H sobreposto”, mais suave, e oferece até 5% de economia sobre o modelo anterior.

Compartilhar

Deixe um comentário