Linha VM ganha cara de Volvo

0

Daqui em diante, também podem ser encontrados nas versões 8×2 e 8×4. E a caixa automatizada I-Shift chega em 2014

A Volvo escolheu o cenário do litoral baiano para apresentar o que denominou de mais um marco histórico na trajetória da empresa no Brasil: o lançamento da nova linha VM. Em tempos de especulações sobre a chegada de uma segunda marca do grupo ao mercado brasileiro, este lançamento pode ser uma indicação de que a Volvo deve priorizar sua atuação nos segmentos acima de 16 toneladas.

O novo farol e as luzes diurnas de led em forma de V. Ao lado, os novos modelos 8×4 e 8×2

Lançada há 10 anos, originalmente com cabine Renault – outra marca do grupo –, a linha VM colocou a Volvo no segmento dos semipesados e hoje responde por nada menos que 40% da produção da fábrica de Curitiba. Com este lançamento, os VM ganharam definitivamente contornos de Volvo, com o detalhe luxuoso da letra V em um led no farol que ficará permanentemente aceso, inclusive durante o dia, reforçando o valor das questões de segurança para a marca.

Além dos novos modelos 4×2, 6×2 e 6×4, agora a Volvo incorpora à linha VM os caminhões 8×2 e 8×4, para carga líquida de até 29 toneladas. A colocação do quarto eixo já é feita por clientes em implementadores num mercado potencial que está se formando no Brasil, estimado em oito mil unidades anuais. Já é oferecida pela concorrência, mas a engenharia da Volvo diz que conseguiu reduzir a tara do veículo a ponto de ganhar esta disputa levando 5,5% a mais de carga.

Teclas no volante: o motorista tem maior segurança na operação

Outro diferencial é que o segundo eixo direcional possui um suspensor para poupar pneus e combustível, com comando no painel. Além disso, para aumentar a segurança da operação de transporte, o VM com quatro eixos também tem um exclusivo sensor de carregamento. Este dispositivo evita que o motorista levante por engano o eixo direcional com o caminhão em movimento, causando sobrecarga.

Cerca de 8% mais cara que a linha atual, a nova linha VM também terá, no segundo trimestre do ano que vem, a caixa de câmbio eletrônica I-Shift, que já equipa mais de 90% dos caminhões da linha F. Este opcional, que será apresentado na próxima Fenatran, elevará o preço em mais 5%, comparando com os veículos que já possuem caixa Volvo, e em mais 8% que os veículos equipados com a caixa Eaton.

FAMILY LOOK – Externamente, os novos VM são bem diferentes da geração anterior. Agora, a cabine é bem mais parecida com a dos caminhões FH lançados recentemente na Europa. “Os VM passam a ter o visual padrão de todos os modelos de caminhões da marca”, observa Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo no Brasil.

Álvaro Menoncin, gerente de engenharia de vendas da Volvo, explica que a parte frontal da cabine foi totalmente redesenhada, a começar pelos novos faróis. “As luzes diurnas de led são em forma de V, separadas da luz baixa, proporcionando ainda melhor visibilidade”, explica. As luzes de led servem também como elemento de identificação visual dos caminhões da Volvo.

Todo o módulo do para-choque que envolve os faróis foi renovado com uma estrutura em termoplástico, uma grade e uma tampa para engates de reboque. Ao módulo do para-choque integra-se a nova grade, que dá à cabine um aspecto mais moderno e de maior robustez. É no interior do novo painel superior que agora está afixada a logomarca da Volvo.

Internamente, a Volvo decidiu manter a atual ergonomia do caminhão. “A padronagem dos tecidos que cobrem os bancos, do teto e dos painéis internos foi atualizada”, diz Ricardo Tomasi, engenheiro de vendas do projeto do novo VM. “Mas mantivemos tudo o que o transportador aprovou e considera importante para a operação de transporte.”

Compartilhar

Deixe um comentário