Carreta com ABS vai custar até R$ 5 mil a mais

0

Os reboques e semirreboques com menos de 57 t de PBTC são os últimos a cumprirem a exigência prevista para começar a vigorar em janeiro

Nelson Bortolin

Uma carreta de três eixos, que hoje custa alguma coisa entre R$ 70 mil e R$ 75 mil, vai ficar até R$ 5 mil mais cara a partir de janeiro, quando virá de fábrica com freios ABS, conforme determina a Resolução 380/2011 do Contran. O ABS já é obrigatório (há um ano) em carretas usadas em CVCs para 57 toneladas ou mais.

Por que um aumento desses, se o kit de freios será fornecido por fabricantes como a Wabco para os implementadores por um valor entre R$ 500 e R$ 1.000, conforme a própria Wabco informou durante a Fenatran, em outubro, em São Paulo?

O superintendente da Noma, indústria de implementos de Maringá (PR), explicou à Carga Pesada, em primeiro lugar, que o valor que ele paga pelo kit de freios ABS para carretas é bem mais alto que o anunciado pela Wabco – coisa de R$ 1.700.

Além disso, não é só instalar um sistema de freios diferente, é preciso fazer outras mudanças na carreta: “Temos que instalar válvulas, fazer mudanças no circuito pneumático, todo o sistema de ar da carreta muda. É preciso colocar sensores nos eixos e adaptar o sistema elétrico e o cubo. Ou seja, a construção da carreta é mais demorada”, justifica.

A carreta vai ficar mais cara, mas o comprador vai economizar pneus, afirma Noma. “Com o freio comum, numa freada de emergência as rodas travam e os pneus lixam. Com o ABS não tem travamento. Ou seja, uma única freada em que os pneus foram poupados de lixar no asfalto já paga o custo do ABS”, declara.

A Randon tem fila para entregar carreta vendida desde agosto, segundo o diretor de Tecnologia e Exportação da empresa, Cesar Pissetti. As vendas foram feitas pelo preço novo (com ABS), mas as que forem entregues até o fim do ano (sem ABS) ganharão desconto de R$ 4.500. Pissetti acha que, em médio prazo, a concorrência pode fazer o custo do ABS diminuir.

O diretor comercial de outra fabricante de implementos, a Rodolínea, Kimio Mori, diz que a adoção de freios ABS em carretas de três eixos trará mais segurança ao trânsito. “O efeito conhecido por ‘L’ nas carretas fica praticamente eliminado”, diz ele.

Na Europa, desde que as carretas em geral passaram a ter freios ABS, em 1991, o índice de fatalidade nos acidentes rodoviários teria caído cerca de 60%.

Compartilhar

Deixe um comentário