PRÉ-FENATRAN: Mercedes-Benz investe no conforto

0

Que bancos… Que painel… Que conforto… Novidades que chegarão às concessionárias em outubro já foram apresentadas

Os novos bancos têm 12 regulagens e vários outros ajustes facilitam muito a operação do motorista

A Mercedes-Benz já começou a antecipar suas novidades para a Fenatran-2017, que será realizada em outubro, em São Paulo. Como se viu num evento realizado no Posto Sakamoto, em Guarulhos, seus caminhões passarão a dispor de até 12 possibilidades de regulagem dos bancos e ganharão novo pacote multimídia com painel, volante multifuncional, sistema de som e tacógrafo digital, que ampliam as facilidades para o motorista.

O vice-presidente de vendas, marketing, peças e serviços diz que “o novo posto de trabalho assegura alto nível de ergonomia e facilita a operação do motorista, o que se traduz em maior conforto e produtividade”. Segundo ele, na Fenatran, todos os caminhões Atego, Axor e Actros trarão as novidades.

Presente no evento da Mercedes, o diretor de Logística da Seara Agronegócio de Londrina, Afonso Mariano, elogiou a evolução dos veículos da montadora. Segundo ele, o câmbio automatizado possibilitou a melhora do aproveitamento da potência do caminhão tanto nas descidas como nas subidas. “Fazíamos uma viagem de Londrina a Paranaguá em 11 horas e meia; agora, com os automatizados, dura 10 horas”, conta. Ganha a empresa e também o motorista, que fatura mais.

A Seara tem 200 caminhões, dos quais 80% são Mercedes-Benz Axor. Eles transportam uma pequena parte da carga própria da empresa. Cerca de dois mil terceiros são contratados para carregar grãos.

Roberto Leoncini

O diretor explica que a robustez dos veículos, a confiabilidade e o bom relacionamento com a fábrica é que levaram a Seara a optar pela Mercedes-Benz. “A qualidade do produto é muito, mas não é tudo. Tem também o pós-venda, o pré-venda, a relação com a fábrica. Trabalhar com a Mercedes-Benz tem sido muito produtivo para nós.”

NOVOS BANCOSTodos os novos bancos têm cintos de segurança integrados e 12 regulagens: ajuste de encosto; baixar/levantar o assento; ajuste da abertura do banco; ajuste da inclinação do assento; ajuste do amortecedor; amortecimento horizontal; ajuste horizontal; ajuste de profundidade do assento; dois apoios de braço; baixar/levantar o encosto; e ajuste lombar (na versão conforto).

Também há novidades nas camas, disponíveis nas cabines leito e estendida. O revestimento passou a ser confeccionado com um tecido de mais elasticidade. A espuma é laminada, com espessura de 120 milímetros.

Atego ganha versão off-road

Para-choque 5% mais alto e tripartido, grade de proteção para os faróis, nova posição das setas e pneus mais altos e de perfil misto 295 são algumas das novidades que trouxeram mais robustez para a linha rodoviária de caminhões Atego 4×2 e 6×2, desenvolvida em parceria com o cliente Via Lácteos, de Matelândia (PR), empresa especializada no transporte de leite.

Circulando por fazendas na coleta de leite e também por estradas e áreas urbanas na distribuição, os novos modelos procuraram atender não apenas a exigência de robustez, mas também de versatilidade e conforto para o motorista.

A solução agradou aos motoristas da Via Lácteos. Adroaldo Oliveira Silva disse em vídeo apresentado durante o lançamento que o caminhão se adaptou muito bem às estradas do interior do Paraná, onde a empresa atua. “O motor é eficiente, com bom desempenho no barro, e na subida tem agilidade e rapidez.” Além disso, ele destacou o bom espaço da cabine, a suspensão que não quebra e a facilidade de operar: “O caminhão oferece tudo aquilo que a gente precisa para trabalhar”.

Depois de participar do desenvolvimento, a Via Lácteos comprou 20 caminhões Atego com essa configuração: dez Atego 1719 4×2 e dez  Atego 2426 6×2. A empresa tem uma frota de 480 veículos. Transporta mais de 1,1 bilhão de litros de leite por ano.

“A simplicidade e o baixo custo operacional são os componentes que mais exigimos. Nesse sentido, o Atego 1719 e o Atego 2426, que idealizamos em conjunto com a Mercedes-Benz, estão nos atendendo perfeitamente”, afirma Márcio Bragatti, supervisor de frota da Via Lácteos.

“O mercado vem reconhecendo cada vez mais a robustez e a durabilidade do Atego, devido especialmente ao quadro do chassi herdado do Atron. Além disso, o cliente ganha mais produtividade, porque o Atego 2426, por exemplo, leva até uma tonelada de carga a mais que seus concorrentes”, afirma Ari de Carvalho (foto), diretor de Vendas e Marketing Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

Compartilhar

Deixe um comentário