MULHERES: Lediane visita clientes de caminhão

1

DILENE ANTONUCCI

Ela é gestora da frota da indústria de alimentos criada pelo pai, mas já viajou pelo Brasil inteiro na boleia Responsável por uma equipe de mais de 100 colaboradores, entre motoristas e pessoal administrativo, a paranaense Lediane Auzenir da Silva abraçou o transporte de carga ainda bem nova. Com o irmão, aprendeu a dirigir os caminhões de entregas da Amafil, indústria processadora de mandioca fundada pelo avô, Antônio Martinho da Silva, em Cianorte (PR), em 1974.

Hoje, ela é a gestora da frota da empresa, mas continua gostando muito da boleia. “Quando preciso fazer uma visita a um cliente, vou de caminhão e já aproveito para entregar a mercadoria”, conta Lediane, que viaja pelo País inteiro. Com seis fábricas no Paraná e uma em Mato Grosso, a Amafil tem capacidade de moer 1.200 toneladas de mandioca por dia. E para entregar seus produtos conta com uma frota própria de 105 veículos, que levam metade da produção.

No início, o serviço era feito pelo próprio fundador, num Chevrolet 1948. Lediane foi uma das participantes do evento Queen of the road, realizado pela Scania no início do ano. Para ela, liderar uma equipe composta em sua maioria por homens não é problema, mas na estrada nem sempre a mulher é respeitada. “Às vezes, os homens (caminhoneiros) confundem um pouco as coisas e não veem a mulher como profissional.

Então, a gente precisa impor respeito. Não podemos perder a feminilidade, mas temos demonstrar que estamos no mesmo nível deles”, explica. A empresária já levou a filha, de 7 anos, para viajar a bordo de um bitrem. “Foi uma viagem bem tranquila. A Natália pôde ver um pouquinho da rotina da estrada”, revela.

A menina, segundo a mãe, tomou gosto por assuntos da empresa que estão ao alcance do seu entendimento. “Não dá para ter certeza, mas vejo uma tendência de ela vir a participar do negócio no futuro.” Tendo viajado por todos os cantos do Brasil, a empresária considera a infraestrutura de transporte muito precária. “Em muitas regiões o asfalto é ruim demais e a estrutura para atender o motorista é defi ciente.” Como mantém parceria com postos de combustíveis, em geral a Amafi l consegue amenizar a situação para seus motoristas.

A empresa fabrica 60 produtos. Entre eles, destacam-se a mistura preparada para pão de queijo, os polvilhos doce e azedo e farofas prontas, além de outros derivados de mandioca, derivados de milho, grãos, molhos, pipoca, sagu, tapioca e temperos.

Compartilhar

1 comentário

Deixe um comentário