Kiko Bonesi, um caminhoneiro de sucesso 

0

Titular de um canal no Youtube com grande número de seguidores, este caminhoneiro dá muitas informações úteis e é respeitado por seus companheiros da estrada. Numa visita à fábrica da Volvo, teve a honra de dar sugestões e ser aplaudido pelo pessoal de vários setores da empresa

DILENE ANTONUCCI E NELSON BORTOLIN

“Estou me sentindo uma criança num parque de diversões.” Foi assim que o caminhoneiro Kiko Bonesi definiu a sensação de realizar o sonho de conhecer a fábrica da Volvo em Curitiba, no dia 28 de julho, no fechamento da semana do motorista. Luis Henrique Bonesi, o Kiko Bonesi, tem 48 anos, é casado há 30 anos com Dona Kika, tem quatro filhos (Bruna, Gabriela, Eduardo e Gustavo) e um neto, o Gabriel. É filho de Dona Vilma e Seu Luis, já falecido.

Mesmo não tendo nenhum caminhoneiro na família, o interesse dele pela profissão vem de criança. “Fazia a tampa da panela da minha mãe de volante e saía fazendo o barulho do motor com a boca”, recorda. Quando pegava ônibus para ir à escola, não desgrudava o olho do motorista. “Ficava fascinado de ver as pessoas dirigindo.”

O presidente da Volvo, Wilson Lirmann,
recebe Kiko Bonesi na fábrica de Curitiba

Teve o primeiro contato com veículos pesados no Exército, onde trabalhou como motorista. Começou a exercer a profissão quando saiu de lá, em 1988. Está na estrada há 28 anos, nos últimos 13 na empresa de transportes Vinhedos, onde dirige caminhões Volvo. Morador de Caxias do Sul, cidade onde nasceu, o gaúcho começou com um VM truck no ano em que ele foi lançado, 2004, depois foi para os FH e desde 2015 está com o FH 540 tracionando um conjunto de 30 metros, na rota de Caxias do Sul para o Nordeste.

Ele criou há alguns anos, no Youtube, o canal Viajando com Kiko Bonesi, e produziu vídeos que já tiveram mais de 10 milhões de visualizações. Um deles, sozinho, foi visto mais de 1,3 milhão de vezes. E a visita à Volvo, noticiada no site da Carga Pesada, rendeu mais popularidade ainda. “Eles (os fãs) querem que eu dê uma revista autografada”, conta.

Kiko Bonesi, Dilene Antonucci, editora da
Carga Pesada, e o presidente da Volvo no
bate-papo com a equipe comercial da empresa: o
caminhoneiro foi aplaudido de pé

Kiko hoje tem mais de 60 mil inscritos em seu canal. Mas o começo dessa história, em 2010, foi despretensioso. “Foi ideia da minha filha que eu filmasse as minhas viagens para fazer um arquivo pessoal, para matar a saudade quando estiver aposentado”, afirma. O gaúcho não entendia de Youtube e achava que só ele poderia ver os vídeos que postava no canal. Mas logo começaram a aparecer os primeiros seguidores. “Comecei a postar dicas de direção econômica e defensiva e percebi que existe uma carência dessas informações.”

No início de sua “carreira” como youtuber, ele diz que ficava “encabulado” ao gravar seus vídeos. Hoje, domina a câmera como ninguém. “É tudo bem natural agora.” Kiko é o tipo de caminhoneiro que não reclama do que faz. “Adoro viajar, viajo com vontade, gosto de estar nesse mundo do caminhão”, declara. Ele gostaria de ter seu próprio caminhão e trabalhar como autônomo, mas ainda não tem como adquirir um veículo.

Kiko faz selfie mostrando todos os participantes do encontro na Volvo

O gaúcho diz que ainda tem muita estrada pela frente. “Não pretendo me aposentar. Dizem que, depois que você se aposenta, você morre. Então eu não quero nem saber”, brinca. Se não fosse caminhoneiro, Kiko gostaria de ser professor. “É uma profissão que eu admiro, que a gente tem de valorizar. Vamos ver se o tempo me dará essa oportunidade.”

Na verdade, quando produz vídeos para o Youtube com dicas sobre direção, está realizando em parte este sonho.

Visita de amigos

A Volvo disponibiliza pelo site www.visitadeamigo.com.br um programa que estimula clientes e interessados a visitarem as instalações da empresa, em Curitiba. Kiko Bonesi fez a visita juntamente com um grupo de caminhoneiros e outros profissionais que se inscreveram. Pela manhã, ele foi recebido pelo presidente da Volvo na América Latina, o brasileiro Wilson Lirmann. Eles já se conheciam desde uma visita que Lirmann fez à sede da Vinhedos, em Garibaldi (RS). “Aprendi muito neste encontro com o Kiko, por isso o convidei para dividir suas experiências com nossa equipe aqui na Volvo”, disse Lirmann. “Para nós é fundamental conhecer em detalhes o que os clientes e motoristas pensam dos nossos produtos e da nossa marca.” Existem mais de 60 mil caminhões Volvo rodando pelo Brasil.

O grupo de caminhoneiros e outros profissionais que participaram da visita à fábrica da Volvo

Kiko participou do programa A Voz do Cliente, que a montadora desenvolve convidando empresários e caminhoneiros a compartilharem suas opiniões com as equipes de vendas, pós-vendas, marketing, recursos humanos e treinamento. A editora da Revista Carga Pesada, Dilene Antonucci, participou do encontro como entrevistadora do convidado. O gaúcho ficou surpreso com o sucesso de sua participação. “Fui aplaudido de pé por uma quantidade grande de pessoas com bastante conhecimento. Pessoas formadas. Teve gente que disse que meu conhecimento dava de 10 a zero em muita gente com doutorado. Eu só estudei até a sétima série, minha escola é a escola da vida. Então a gente fica honrado. O ego vai lá em cima.”

De toda a programação, o que mais chamou a atenção de Kiko foi a visita à fábrica de cabines. “É um mar de robôs trabalhando com muita precisão.” Ele e os demais caminhoneiros que visitaram a linha de montagem da Volvo ficaram sabendo, por exemplo, que cada cabine recebe mais de quatro mil pontos de solda no processo de fabricação. Segundo o gaúcho, após a visita, representantes da Volvo ligaram para ele pedindo sugestões para melhorias nos caminhões. “Queriam dicas simples para melhorar as condições de trabalho do motorista. Peguei várias dicas com os colegas pelo WhatsApp e mandei para eles.”

Segurança acima de tudo 

Ao visitar o Memorial da Segurança no Transporte construído pela Volvo, único espaço dedicado ao tema na América Latina, Kiko colheu a informação, por exemplo, de que o uso do celular na direção pode aumentar em até 23 vezes o risco de acidentes. E passou a se corrigir. “Não atendo mais o celular e nem faço filmagens com o caminhão em movimento. Se for algo urgente, ponho no viva-voz.” O aparelho agora fica fixado no painel.

Ele conta que, para produzir seus vídeos, usa um suporte para a câmera também no interior da cabine. “A câmera funciona com comando de voz. Não preciso tirar o olho do volante para acioná-la”, conta.

Depois da visita à fábrica, ele passou a priorizar ainda mais o tema segurança em seus vídeos. “Tento passar o máximo de informação para meus colegas.”

Os seguidores do gaúcho

Kiko com seus seguidores no Youtube que estiveram com ele na Volvo: Thiago dos Santos Nascimento, Leandro Oliveira, Renan Juk Silveira, Adriano Moreira e Sandro Nunes (agachado)

Outro momento marcante da visita foi o encontro de Kiko com vários seguidores de seu canal no Youtube que também visitavam a fábrica. Um deles, Thiago dos Santos Nascimento, de São Paulo, pretende ser caminhoneiro e por isso acompanha as postagens do canal: “Sigo o Kiko Bonesi desde o início, principalmente pelas dicas que ele dá de condução e dos trechos onde ele roda. Aproveito as informações que serão muito importantes para mim caso um dia eu consiga me tornar caminhoneiro ou motorista de ônibus”.

Kiko, por sua vez, disse que é gratificante poder se encontrar pessoalmente com seguidores: “Comecei o canal porque também fui buscar informações práticas e não encontrei, só muita teoria. E pensei que, se estou aprendendo, posso passar estas dicas para alguém que esteja buscando. A internet favorece muito a troca de informações. E, como bem disse o presidente da Volvo em nosso primeiro encontro, conhecimento a gente não divide, a gente multiplica”, comentou.

 

Compartilhar

Deixe um comentário