Videos explicam funcionamento dos motores Euro 5

7

Mercedes - Virada

A 18ª Fenatran – Salão Internacional do Transporte abre as portas para o público na próxima segunda-feira (24 de outubro), no Anhembi, em São Paulo, tendo como vedetes os novos caminhões equipados com motores Euro 5. Eles poluem muito menos que os modelos atuais, são mais econômicos e potentes. Entretanto, custam de 8 a 20% mais caro.

A maior parte usa o sistema SCR e necessita de um aditivo à base de ureia – a Arla 32 – para funcionar bem. Mas os caminhões de menor potência e comerciais leves devem adotar o sistema EGR, de recirculação de gases, que dispensa o uso da ureia.

Os novos caminhões representam o maior salto na legislação brasileira de emissões, o Proconve P7. As montadoras estão preparadas para vender a nova linha de veículos, em todas as faixas de potência, a partir de janeiro de 2012. Essa tecnologia já está em uso na Europa e Estados Unidos desde 2009.
A respeito do uso dos motores Euro 5, a grande dúvida paira sobre a capacidade da Petrobras de produzir e abastecer as redes de postos com diesel mais limpo, o S50, que tem baixo teor de enxofre. E se os postos terão tempo hábil e capacidade de investimento para instalar tanques e bombas exclusivas para este novo combustível, que também deverá custar mais caro.
Muitos transportadores ainda estão duvidando que a novidade emplaque a partir de janeiro de 2012 e apostam em um novo adiamento da exigência, como aconteceu em 2009 (quando o Brasil ia entrar no Euro 4, que nem chegou a ser usado por aqui). Mesmo os grandes transportadores, sempre atingidos pelas ações diretas dos fabricantes, estão cautelosos. Muitos estão antecipando compras de veículos com os atuais motores Euro 3, até ter certeza de que terão mesmo diesel S50 e a Arla 32 para abastecer os Euro 5.
Temendo a possibilidade de uma forte retração no primeiro semestre, as montadoras estão tentando convencer o BNDES a proporcionar um financiamento com juros mais baixos para a nova geração de veículos. O principal argumento é que a redução de poluentes traz um benefício social para toda a população. Em outra frente, a indústria busca desonerar o imposto das peças importadas que compõem o sistema Euro 5.

Mercedes - Virada
Compartilhar

7 Comentários

  1.         O governo estar certo em tirar as maria fumaça das ruas, quanto antes melhor       respire melhor com MAN alta tecnologia em motores a diesel.                                     MAN a natureza agradece

  2. Nivaldo Baptista em..

    Ola,é valido sim controlar a poluição em qualquer lugar do planeta,mas vale lembrar que os caminhões que roda no pais , mal tem manutenção só arruma quando quebra,agora tanta  tecnologia e não tem como chegar ao alcance do autonomo devido juros altos de financiamento e baixo fretes, esta tecnologia só vai estar ao alcance da minoria e a maioria vai continuar a poluir e mais, levando multas por não ter o direito de melhorar de caminhão ou equipamento para trabalhar.

  3. BRASIL O PAÍS DA DESIGUALDADE  EM TODO O SENTIMENTO E ASPECTOMANDA QUE TEM ! OBEDEÇE QUEM NÃO TEM!QUEM  É RICO  FICA MAIS,E QUEM É POBRE FICAR MAIS POBRE!PORQUE NESSE PAÍS,O POBRE NÃO REALIZA SEU SONHO…FICA SEMPRE SONHANDO!QUANTOS AMIGO DA ESTRADA SONHAM COM UM CAMINHÃO NOVO? 

  4. o arla é um saco gasta pra rebenta e é caro pra caramba…nos frotistas achamos que o brasil não esta nem um pouco preparado pra esse tipo de tecnoligia…nos compramos esses caminhoes mais tha quebrandu as perna heim…e no final quem fikou sem respuduo foi nos o comsumidores….tha dificil de trabalhar….uma boa noite a tds…..

  5. Acredito que o programa, que é valido, deveria primeiro começar nos grandes centros urbanos. Para que penalizar pequenas cidades do interior, onde existem imensos canaviais, purificando o ar permanentemente? O veículo custa mais caro, o combustivel custa mais caro e o aditivo é um custo adicional. Já ocorreram casos de utilização do diesel S-50 (o combustivel imperativo (tanto para o sistema EGR como para o SCR) em motores antigos, com bombas injetoras rotativas, onde apareceram problemas de desgaste metalico, aparentemente gerado pelo baixo poder de lubricidade do novo combustivel. Vamos ver o que acontecerá no futuro, mas reconhecemos que é necessário controlar as emissões dos motores diesel, principalmente dos materiais particulados (aqueles que formam a fumaça negra) bem como os óxidos de nitrogenio (Nox).

  6. Existe um sistema barato e muito mais simples que reduz a emissao de gases poluentes em ate 80%, simplesmente usando agua destilada.Este sistema ja existe a aproximadamente 200 anos, Se vcs querem maiores informacoes de uma olhada no nosso site http://www.hhodiesel.comJa estamos vendendo para o Brasil, podem nos mandar um email com um numero de telefone fixo que teremos um grande prazer em explicar o nosso sistema. Um grande abraco. Cesar Reis 

Deixe um comentário