Mercado de Arla 32 pode chegar a R$ 2 bi ao ano

0

Daf - 90 anos

As petroleiras finalmente mostraram, na Fenatran, suas armas para o mercado do novo diesel S50 e do Arla 32, o reagente à base de ureia. A Petrobras promoveu palestras sobre o tema e procurou tranquilizar os visitantes sobre a disponibilidade do novo combustível a partir de primeiro de janeiro.

As estimativas são de que sete refinarias da Petrobras atenderão a uma demanda de 5,5 bilhões de litros do diesel S50 já em 2012. O que não for produzido aqui será importado. Em relação ao Arla 32, espera-se a venda de 100 milhões de litros em 2012, com faturamento de R$ 200 a R$ 250 milhões. Até 2020, estima-se que esse mercado movimente mais de R$ 2 bilhões ao ano.

Instalações da Reduc, no Estado do Rio: daqui sai o diesel S50 que será consumido no Brasil

A Petrobras vai produzir Arla 32 em sua fábrica de fertilizantes em Camaçari, na Bahia. A Vale também produzirá o reagente, além da líder mundial no setor, a Yara, que já está no Brasil. No varejo, a BR Distribuidora lançou a marca Flua para identificar seu produto.

A Raízen, empresa resultante da integração da Shell e Cosan, também lançou na Fenatran a marca Evolux, tanto para o diesel S50 quanto para o Arla 32.

De acordo com o gerente nacional de frotas pesadas, Douglas Pina, a partir de janeiro, pelo menos metade da rede estradeira de 450 postos da Raízen terá o S50 e o Arla Evolux para vender.

A empresa aproveitou a Fenatran para apresentar um novo sistema de gestão de frotas, o Expers, que, além de ajudar a reduzir os gastos com combustíveis e manutenção, emite relatórios gerenciais das emissões de gases de efeito estufa.

Scania - Square - 25-04-18
Compartilhar

Deixe um comentário