Melhores do mundo desfilaram em Hannover

0

Scania - Square - 25-04-18

O que se viu no maior Salão de Veículos Comerciais do mundo, em Hannover, na Alemanha, em setembro, foi o resultado do trabalho das equipes de engenharia das grandes montadoras na busca pela melhor solução para os motores com níveis de emissão de gases Euro 6, ainda menos poluentes do que os Euro 5, que passaram a ser obrigatórios no Brasil em janeiro deste ano.

Por enquanto, não existe data prevista para os Euro 6 chegarem por aqui, mas é sempre bom saber o que as matrizes das montadoras andam planejando. Sobretudo quando mercados como o brasileiro ganham importância nos planos de investimento das grandes corporações.

A Volvo e a Iveco anunciaram a chegada em breve ao Brasil de seus novos modelos top de linha, como o novo FH e o Stralis Hi-Way, este eleito o Caminhão do Ano em Hannover, por jornalistas europeus.

Esses modelos aportarão por aqui com motores Euro 5. Mas na Europa os primeiros caminhões Euro 6 já estão circulando. O preço deles é 10% a 12% superior ao da geração Euro 5. Como por lá a obrigatoriedade do Euro 6 só entra em vigor em janeiro de 2014, em vários países existem incentivos do governo para que os transportadores adquiram já os Euro 6.

Na Alemanha, existe desconto no pedágio. Estima-se que, se o caminhão rodar 120 mil km por ano, em um ano e meio a diferença de preço para o Euro 5 terá sido amortizada.

Em termos de engenharia, basicamente os motores Euro 6 fundiram os sistemas SCR (pós-tratamento), EGR (recirculação de gases) e o filtro de partículas. Em alguns casos, não é preciso usar o reagente à base de ureia (Arla 32). Em outros, dá para usar combustíveis como o GNV.

Conheça nos textos a seguir a estratégia das principais montadoras e outras novidades apresentadas no Salão de Hannover.

Mercado de caminhões crescerá 50% nos próximos 10 anos

A demanda global por caminhões médios e pesados deve crescer 50% nos próximos 10 anos. A expectativa é do principal executivo da Mercedes-Benz, Andreas Renschler, que demonstrou otimismo em Hannover não só nas previsões de longo prazo: “Esperamos para 2013 uma melhoria na venda de caminhões e que nossos ganhos voltem a se equiparar aos de 2011, com retorno sobre vendas de 8% em todas as áreas de negócios. Também mantemos a meta de vendas da Daimler Trucks de 500 mil unidades para 2013 e de 700 mil unidades para 2020”.

Sobre o Brasil, Renschler disse que a implantação das normas de motorização Euro 5 levaram a uma queda de 15% nas vendas, mas que mesmo assim 2012 será um bom ano para a indústria de caminhões no País, com a produção de 130 mil unidades entre médios e pesados. “Há sinais positivos na economia, como as últimas medidas do governo de incentivo à produção, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016.”

E continuou: “Nosso setor tem que ser capaz de resistir aos ciclos. E a nossa vantagem, como competidor global, é que os mercados mais fortes compensam eventuais quedas em mercados mais fracos”, avaliou o executivo da Mercedes-Benz.

ANTOS – Uma das grandes estrelas do grande estande da Mercedes-Benz no Salão de Hannover foi o Antos, uma linha de pesados desenvolvida para distribuição. O veículo tem duas versões de cabines, é equipado com motores de seis cilindros em linha e aumenta os intervalos de manutenção para mais de 150 mil km.

A Mercedes-Benz garante que o Antos não vem para substituir o Axor e que o modelo segue firme até a chegada da motorização Euro 6, que ainda não tem data fixada no Brasil.

Antos, a estrela da Mercedes-Benz: manutenção apenas a cada 150 mil km

O novo rodoviário Actros, lançado na Europa no ano passado, também foi destaque com o novo sistema Active Brake Assist (Sistema de Assistência Ativa de Frenagem), que está em sua terceira geração e proporciona uma manobra de frenagem autônoma para evitar a colisão com obstáculos parados. Outra novidade é o Predictive Powertrain Control – PPC (Controle Preventivo do Trem de Força), que liga as informações do GPS sobre a rota à frente com o sistema de mudança de marchas do caminhão. Assim, o veículo se mantém sempre na marcha que resulta na máxima economia de combustível. Conjugando os sistemas EGR e SCR com o filtro de partículas, o Actros Euro 6 ficou até 4,5% mais econômico que a versão anterior.

Scania - Square - 25-04-18
Compartilhar

Deixe um comentário