Arte do caminhoneiro Rone viajou longe

0

Daf - 90 anos

Público de três continentes teve oportunidade de admirar seus quadros

Com patrocínio da Volvo e apoio da Carga Pesada, o caminhoneiro e pintor Rone Cândido Lacerda, de Minas Gerais, pôde mostrar sua arte ao público de países de três continentes: Tunísia (África), Itália (Europa) e República Dominicana (América Central).

As duas telas pintadas com tinta a óleo por Rone, que você vê nesta página, estavam entre as que participaram, em setembro, do XVIII Circuito Internacional de Arte Brasileira, realizado naqueles países. Rone representou sua cidade – Belo Horizonte – pela segunda vez neste evento.

Os leitores da Carga Pesada já conhecem o trabalho deste mineiro-caminhoneiro-pintor. Nós o apresentamos numa reportagem da edição 162, de junho/julho de 2012. Depois, foi Rone que fez o quadro que ilustrou a capa da edição 165, de fim de ano.

Rone gosta de pintar o que vê nas estradas, como se observa nos dois quadros desta página: o primeiro chama-se “KM 687” e retrata a movimentação em torno de um acidente na Fernão Dias, perto de Perdões (MG); o segundo, “Descendo a Serra”, mostra um veículo nove-eixos na Serra de Igarapé, também na Fernão Dias.

“Para mim, foi uma honra muito grande poder participar desta exposição nos três continentes”, disse Rone.

As telas expostas no Exterior: “KM 687” (acima) e “Descendo a Serra”

Segundo Anaelse Oliveira, da Comunicação Corporativa da Volvo, a empresa resolveu patrocinar a participação dele por acreditar que a cultura contribui para a transformação social, promoção da cidadania e desenvolvimento de pessoas. “A empresa é uma grande incentivadora da cultura no Brasil. Quando conhecemos o trabalho do Rone, nos chamou muito a atenção a forma sensível e expressiva com que ele retrata, por meio da pintura, cenas do cotidiano dos motoristas profissionais de caminhões”, afirma.

De acordo com Anaelse, são poucos os artistas que têm “esse olhar sensível” para o dia a dia dos estradeiros. “Poder viabilizar a divulgação internacional das obras dele é uma forma de incentivarmos seu trabalho e encantarmos as pessoas que tiverem o privilégio de ver suas telas”, explica.

Daf - 90 anos
Compartilhar

Deixe um comentário