Tabela de fretes prevê valores de R$ 28,26 a R$ 777,64

8

Mercedes - Virada

 Nelson Bortolin

Revista Carga Pesada

 

 

A comissão de caminhoneiros autônomos criada após a greve de fevereiro entregou ontem ao governo federal uma proposta de tabela de frete. A tabela, que pode ser vista abaixo, prevê valores de R$ 28,26 por tonelada até R$ 777,64 por tonelada. O primeiro se refere a um trajeto de até 50 quilômetros. E o segundo valor é previsto para uma viagem de 5.751 a 6 mil quilômetros.

A tabela não contempla encargos financeiros para pagamento a prazo, nem margem de lucro. Também não contempla despesas de carga e descarga, de pedágio, de balsa, de gerenciamento de risco, nem de escolta. Ou seja, trata-se de valores referente ao custo do transporte.

No documento entregue pela comissão ao governo, fica ressaltado que as estadias deverão ser pagas conforme legislação vigente. Ou seja, após cinco horas de espera para carregar ou descarregar, os transportadores têm direito a uma remuneração de R$ 1,38 por tonelada hora. Isso está previsto na lei 13.103, sancionada no início deste mês.

Outra ressalva feita pela comissão ao governo é de que, nos trechos de rodovias não pavimentadas, os valores da tabela de frete devem ser negociados entre as partes.

Além dos membros da comissão, a reunião de ontem em Brasília contou com a presença dos ministros da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rosseto, dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, e do diretor-geral da ANTT, Jorge Bastos.

Presidente do Sindicam-SP e integrante da comissão, Norival de Almeida disse à Carga Pesada que o governo irá analisar a tabela e tratará do assunto numa próximo reunião a ser realizada em abril. Ele explicou como os valores foram calculados: “Pegamos o referencial do agronegócio, que é o frete mais sacrificado, e elevamos para um determinado patamar. Fomos pegando custo fixo, custo variável, em cima de um veículo de seis eixos”, explica.

Segundo Almeida, parte dos caminhoneiros que participaram das manifestações do mês passado tem expectativa de que o governo adote uma tabela mínima de frete. Ou seja, que os contratantes sejam obrigados a pagar valores mínimos. Mas, no entendimento do presidente do Sindicam, o compromisso do governo é com uma tabela referencial, que servirá de parâmetro para o mercado.

tabela frete 2

 

 

ZF Tecnologias
Compartilhar

8 Comentários

  1. sonia regina branco em..

    Isto só pode ser uma verdadeira PIADA E DE MUITO MAL GOSTO , em Santos temos uma planillha a mais de 40 anos , para o transporte de containers VAZIO e Cheio .
    Se formos ter que usar essa planilha , vamos morrer de fome .
    50 km e o percurso mais longo que temos para esse serviço , o maior peso de um container vazio de 40 reefer hc é de 3200 Kg ,o flat rack , que é raro ,esse tipo de container para carga e descarga o peso é de 5.400 kg , ja temos um frete que mal esta dando para o sustento do caminhão e nossas despesas . E olha que cancei de mandar a nossa tabela para não acontecer isso .

  2. no meu enteder continua to mesmo jeito,tem que ser por km rodado ida e volta indepedente do peso ai ta bom para acabar o resto das estradas ,por tonelada ,o caminhoneiro autonomo pra melhorar o frete tem carregar umas 50 toneladas no seu caminhão de 50 anos e ai desmanchar seu ganha pão ,o Brasil anda na contra mão dos paises desenvolvidos,aqui não tem incentivo para o verdadeiro trabalhador essa tabela ta boa para um trem que carrega milhares de ton.

  3. No grão, cargas de usinas minério de ferro, gusa pode até funcionar um tabelamento nos fretes,

    ” Se tiver frota para carregar vai carregar as frotas primeiro”, depois se sobrar vão carregar os terceiros.

    Más em cargas fracionadas com veículos dedicados, vamos ver o que acontece, onde vão carregados e voltam vazios!

  4. Ronald Goemeri em..

    Isto acaba com o conhecido FRETE RETORNO pago normalmente da baixada santista para o interior.Já é uma vitória. Cabe aos caminhoneiros fazerem cumprir a lei e não acitar “negociação de frete”.

  5. Nao sei onde tem diferenca aos fretes pagos na atualidade, essa tabela pra ficar boa tinha que ser mais 30 a 40 % em cima dessa tabela.

  6. sergio h consulo em..

    ta na hr da classe acorda,e uma vergonha o modo que somos tratados,levamos o Brasil nas costas e nao temos valor de nada,so humilhaçao atras de humilhaçao,merecemos por meritos ja conquistados no decorrer destes anos de desgastes e de atraso,somos trabalhadores nao e facil enfrentar a estrada ficar longe da familia,poucos tem essa coragen so saben criticar atras de uma mesa mas enfrentar a estrda nao queren…acorda caminhonerada vamos lutar por aquilo que e justo e que merecemos,nao podemos ser vitimas da desigualdade,temos familia para sustentar e do jeito que ta nao daaaaaaaaaaaaaaaa

  7. A tabele é boa e aplicável, o problema é entender. Vejamos:
    Se alguém fizer uma viajem com distância de 250 km com carga de 3 toneladas, receberá pelo transporte a quantia de R$ 612,81 (seiscentos e doze reais e oitenta e um centavos).

    Isto se deve a somatória dos valores das distâncias percorridas, multiplicadas pelas toneladas transportadas. Assim:

    1Km a 50 Km – 28,26
    51Km a 100Km – 34,56
    101Km a 150Km – 40,85
    151Km a 200Km – 47,15
    201Km a 250Km – 53,45

    Total 204,27 X 3 toneladas = R$ 612,81. Só não sei se esse valor cobriria os gastos de combustível e eventual pedário, que viesse a resultar em uma margem de lucro satisfatória.

  8. Reinaldo de Almeida em..

    Alguém sabe como fazer pra enviar um veículo do litoral de são Paulo para Alagoas Maceió e quanto sai em dinheiro 13 996238719 meu nome é Reinaldo agradeço

Deixe um comentário