Editorial: Sobre atrocidades

0

DAF - XF105

Você, caro leitor, caminhoneiro empregado, sabia que na reforma das leis trabalhistas (talvez seja melhor dizer: na retirada de direitos trabalhistas) que está para ser votada no Senado, está incluído um item que facilita a demissão de motoristas que tiverem resultado positivo no exame toxicológico, e permite que o motorista que perdeu a habilitação seja demitido por justa causa?

Pois está! Quem nos alertou para este assunto foi o procurador Paulo Douglas Almeida de Moraes, do Ministério Público do Trabalho de Campo Grande (MS), que nos deu um extensa entrevista sobre o assunto do exame toxicológico.

O promotor Moraes acha que uma proposta dessas “é uma atrocidade”. Nós também. Ele espera que tal proposta seja barrada na votação no Senado. Nós também. Você sabe o que significa ser demitido por justa causa, não sabe? É ser mandado embora sem direito a nenhum tipo de indenização por ter perdido o emprego. E ainda ficar com o nome manchado: ali vai um mau profissional… Tudo isso sem direito a defesa, sem se levar em conta o passado da pessoa e suas razões para ter feito qualquer coisa que tenha feito. 

Nós estamos aí, passando por essa situação de turbulência política, em que grupos sociais e econômicos com interesses muito fortes estão aproveitando o momento de desorganização dos grupos sociais mais fracos para revogar muitos direitos que, mesmo no passado, não passaram de direitos só no papel, pois a prática era “ou você aceita os meus termos ou… rua!”

Isso vai melhorar? Temos que acreditar que sim. Quando? Aí já é mais difícil dizer. Com o trabalho e a união dos honestos de propósitos e vontades, será antes do que possamos esperar.

Scania - Consorcio
Compartilhar
Fenatran - Você na Rota

Deixe um comentário