SAFRA 2017: Câmbio automático ganha espaço na cana

0

DAF - XF105

As caixas automatizadas estão ganhando espaço em todos os segmentos do transporte de cargas. Empresários e motoristas reconhecem as vantagens desta tecnologia.

O motorista Marcelo Aragão: “Acabou a história de que câmbio automático não trabalha na cana”

É o que se ouve também na Andrade Transportes, outra empresa que faz a logística da Raízen na usina da cidade de Rafard, região de Piracicaba. Seu diretor Marco Andrade diz que “o câmbio automatizado melhora os índices de consumo, o conforto do motorista e, principalmente, dá mais segurança na operação”.

O caminhoneiro Marcelo Aragão reforça: “O Axor 3344 é um ótimo caminhão, muito confortável. Engato no automático e não preciso mais me preocupar com nada, ele trabalha sozinho, o sensor de subida decide as melhores marchas. Acabou a história de que câmbio automático não trabalha na cana, no Mercedes trabalha sim”, opina.

O empresário Marco Andrade: muito satisfeito com o pós-venda da Mercedes-Benz

Depois de 10 anos transportando cana, Aragão se diz satisfeito com a escolha que fez. “Hoje, como motoristas, nós tiramos o mesmo salário que um professor ou um profissional que se formou na faculdade. Temos ótima infraestrutura de trabalho, assistência médica, para mim e para minha família. Trabalho das seis da manhã às duas da tarde e tiro um salário livre de 2,5 a 3 mil reais livres”, comenta.

Já o diretor da Andrade Transportes comenta outro “motivo de comodidade” oferecido pelos Mercedes: os contratos de manutenção adquiridos juntamente com os novos caminhões. “Na nossa atividade, o pós-venda é fundamental. Temos sido muito bem atendidos em serviços, uma questão essencial para uma operação que exige alto índice de produtividade como a nossa”, informou Marco Andrade.

Paulo José de Oliveira, Tiago Portronieri, José Carlos Barboza e Marco Andrade, da
Andrade Transportes

Scania - Consorcio
Compartilhar
Fenatran - Você na Rota

Deixe um comentário