VOLVO: Caminhões autônomos, só em áreas confinadas

0

Daf - 90 anos

E com motorista dentro! Essa é a visão imediata da Volvo, que já tem desses veículos em operação, inclusive no Brasil

Os caminhões autônomos, que já estão em operação, não prescindem da presença do motorista, e a introdução gradativa dessa tecnologia deve acontecer em áreas confinadas, onde não existe trânsito regular. É o que afirma Lars Terling, vice-presidente global da Volvo Trucks, um dos painelistas do Seminário “Tendências Futuras e Inovação”, realizado em Itajaí (SC), quando a Volvo Ocean Race, regata de volta ao mundo patrocinada pela marca, passou pelo Brasil.

Lars Terling

Veículos autônomos vêm sendo desenvolvidos em todos os segmentos da indústria automotiva, com protótipos ou até em pequena escala comercial, no caso de automóveis. Lars Terling entende que, no caso dos caminhões o cenário é outro. “Acreditamos que veículos autônomos serão gradativamente introduzidos em aplicações muito específicas, como nas operações de transporte muito repetitivas, nas quais o motorista é submetido a uma rotina extenuante. E apenas em áreas confinadas, sem trânsito regular. Nesses casos, caminhões autônomos ajudam a manter a condução uniforme por muito mais tempo, com menos cansaço e mais segurança”, diz o especialista.

A Volvo já colocou veículos em operações reais desse tipo, como numa mineração subterrânea em Boliden (Suécia) e até no Brasil, na colheita de cana-de-açúcar em Maringá (PR). “Importante destacar que os autônomos que já temos não prescindem do importante papel do motorista. Eles continuam sempre atrás do volante, mas têm sua atuação facilitada pela tecnologia, que garante mais precisão e produtividade”, pontua o executivo.

“Os efeitos climáticos, o crescimento da população mundial e a demanda por mais segurança são fatores determinantes para o desenvolvimento tecnológico da indústria automotiva, especialmente em veículos comerciais”, afirma Lars Terling.

Autônomo da Volvo em Maringá

Em relação à conectividade, também já há inúmeros sistemas que permitem fazer a gestão remota de frotas. Com isso, os transportadores obtêm dados confiáveis para compartilhar com os embarcadores, assegurando grande produtividade logística.

Há casos de empresas que tiveram reduções significativas em seus custos operacionais, graças à economia de combustível, prolongamento da vida útil de componentes dos veículos e até redução de acidentes.

A montadora também acaba de apresentar na Europa um caminhão elétrico para entregas urbanas. Projetado com foco em operações noturnas, o FL Electric é silencioso e eficiente, podendo rodar até 300 km com uma única recarga. Estará à venda na Europa em 2019.

Scania - Serviço Premiado - 25-04-18
Compartilhar

Deixe um comentário