Desconto chega aos postos de combustíveis pela metade, segundo ANP

1

Scania - Serviço Premiado - 25-04-18

De acordo com pesquisa nacional, queda no preço do diesel foi de R$ 0,21

Uma das principais medidas tomadas pelo governo para encerrar a greve dos caminhoneiros (de 21 a 31 de maio)  foi a redução de R$ 0,46 no preço do diesel, prevista na Medida Provisória 838. Mas, segundo a única pesquisa nacional de preços de combustível, esse desconto chegou parcialmente às bombas. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) apurou um preço médio de R$ 3,595 para o litro do diesel S500 no País na semana de 13 a 19 de maio – imediatamente anterior ao início da paralisação.

Na pesquisa mais recente disponível no site da agência, referente à semana de 8 a 14 de julho, a média é de R$ 3,388, ou seja, apenas R$ 0,21 menor que a anterior à greve. No caso do S10, o preço médio baixou de R$ 3,691 para R$ 3,463 no mesmo período – desconto de R$ 0,23.

Feita em 3.224 postos de 436 municípios, a pesquisa da ANP mostra que, em apenas três, o desconto chegou ou superou o valor prometido pelo governo: em Niterói (RJ), onde o diesel comum caiu 70 centavos; em Santo Antônio de Pádua (RS), com desconto de R$ 0,49; e em Três Lagoas, com R$ 0,46.

Na outra ponta, teria havido aumento entre R$ 0,004 e R$ 0,13 no valor do combustível em 16 municípios, sendo três capitais: Cuiabá (R$ 0,017), Palmas (R$ 0,045) e São Luís (R$ 0,080).

OUTRO LADO – Diretor dos Postos Túlio, rede com presença no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Giancarlo Pasa discorda da pesquisa da agência. “Não sei qual é a metodologia usada. O fato é que todas as grandes redes de postos de estrada repassaram o desconto de R$ 0,46 assim que saiu o acordo”, garante. Na opinião de Pasa, se a pesquisa da ANP estivesse correta, os caminhoneiros já teriam retomado a greve.

Daf - 90 anos
Compartilhar

1 comentário

  1. Nosso Brasil está acometido de gente desonesta para todos os lados! Não é somente na política, isso ocorre com empresários desonesto em toda parte!
    Nós é que somos “otário” ao não fazer a nossa parte!
    Aqui na minha região teve posto de combustível que elevou o valor da gasolina e do diesel durante a paralisação, um deles passou a gasolina de R$4,30 para mais de R$7,00. Eu jamais entrarei nesse posto, pois vejo o seu proprietário como o maior dos ladrões que existe e além de aproveitador.
    Uns dias antes da greve havia postos da MG-050, na região do sul de Minas estavam praticando preços do diesel em média R$3,15, assim que iniciou a greve elevaram o preço e deles passou o diesel para absurdos R$4,15, quando retornei depois da greve o mesmo vendia a R$3,55, ou seja; aumentou R$1,15 depois abaixou R$0,60 e ainda fazia propaganda em uma faixa onde estava escrito; abaixamos o preço do diesel em R$0,60, mas não informou que havia elevado o preço antes para depois “abaixar”
    Parei para abastecer e quando vi a “sacanagem” e desonestidade disse para o frentista que nunca mais abasteceria nesse posto e era para informa o dono!
    Se todos nós tivéssemos sabedoria e boicotasse essa gente o Brasil melhoraria, mas como somos individualistas e “espertos” vamos pagando o preço da desonestidade desses senhores.
    Como explica; Gasolina em BH e região R$4,80, gasolina em São João Del-Rei R$4,40? a distância é de mais ou menos 190 km de BH e o custo de frete é maior. É o ICMS que é diferenciado para regiões mais longínquas de BH? Com a palavra donos de postos de BH e região metropolitana.
    Eita Brasil! Não consigo enxergar a luz no fim do túnel.

Deixe um comentário