SCANIA: Boleia de última geração

0

Daf - 90 anos

Montadora já registrou 300 pedidos dos novos caminhões

A Scania montou um campo de provas avançado para apresentação de sua nova geração de caminhões a clientes de todos os países da América Latina. Só do Brasil serão mais de 2.200 convidados que terão oportunidade de testar as novas boleias, inclusive em pistas off-road, e passar por estações de apresentação dos principais diferenciais da nova linha que já somava, no início de novembro, 300 pedidos registrados em carteira. As entregas devem começar em fevereiro.

Nunca estivemos tão alinhados com as tecnologias apresentadas no último Salão de Hannover e que você conhecerá nas próximas páginas, inclusive em relação a combustíveis alternativos. O estande da Scania no maior salão de transporte do mundo, que aconteceu em setembro, na Alemanha, era 100% descarbonizado, ou seja, só expunha veículos com emissão zero de carbono. Agora, menos de dois meses depois, e nesta mesma linha, a Scania e a Citrosuco anunciaram para o Brasil a primeira demonstração de um caminhão abastecido com GNV (gás natural veicular) ou biometano. O modelo, um pesado de 410 cavalos de potência, fará já na primeira quinzena de dezembro a rota Matão-Santos levando suco de laranja para exportação.

Ainda no campo da sustentabilidade, a nova geração Scania chega com cinco motores movidos a combustíveis alternativos: GNV/biometano (com três opções, de 410, 280 e 340 cv) e bioetanol (com duas opções, de 400 e 280 cv).

O pesado movido a gás pode chegar a 700 quilômetros de autonomia

Eliardo Locatelli, que já conquistou duas vezes o título de melhor motorista promovido pela marca, é um dos responsáveis por acompanhar os test drives e apresentar os pontos fortes dos caminhões aos clientes. Ele destaca o que mais agradou no caminhão: “A nova cabine, que tem maior campo de visão com o rebaixamento do painel e redução das colunas laterais, e o deslocamento do banco do motorista, em cinco milímetros para a esquerda, que melhorou muito a ergonomia. A performance do caminhão, com novos motores e a nova caixa, está excelente”, avalia.

Barral: “vamos mudar a forma de comercializar caminhões”

“Vamos revolucionar o setor de transportes na América Latina. Nossos clientes serão convidados a entrar na jornada mais eficiente de personalização de suas soluções. Queremos que nossos clientes embarquem nesta próxima etapa com a certeza de estarem investindo no que, de fato, precisam para sua rentabilidade”, conta Roberto Barral, vice-presidente de operações comerciais da Scania no Brasil.

“Não é só uma nova linha que chega ao mercado, mas a forma de comercializar a nova geração será muito diferente a partir de agora pela rede Scania. O vendedor terá um sistema exclusivo que escolhe a melhor solução de transporte, mais personalizada, conforme o tipo de aplicação”, completa Barral. A ferramenta vai definir o que é preciso para obter a máxima rentabilidade. Por exemplo, qual a melhor cabine, potência, eixos, trações, programa de manutenção, solução financeira e implemento. Ou seja, o veículo passará a ser apenas mais um item. Serão possíveis, no mínimo, montar 500 alternativas de tipos de caminhões a partir de 19 combinações de cabines, cinco novas potências e 38 aplicações definidas pela Scania no transporte de cargas no Brasil.

A Scania reforça o que parece ser um consenso na indústria: em 2019, o mercado de caminhões acima de 16 t (semipesados e pesados) deverá crescer entre 10% e 20% na comparação com 2018. “Já firmamos nosso investimento de R$ 2,6 bilhões até 2020 e confiamos no potencial do País”, reforçou Barral.

Scania - Nova Geração
Compartilhar

Deixe um comentário