Câmeras substituem retrovisores no Actros

0

Scania - Nova Geração

Mercedes-Benz garante que melhor aerodinâmica proporcionada pela substituição reduz em até 5% o consumo de combustível

 

Hannover, na Alemanha, foi mais uma vez a sede do Salão Internacional do Transporte, IAA 2018. Como sempre acontece, a Mercedes-Benz abriu a programação de encontros com a imprensa mundial – mais de 500 jornalistas – em um circuito de testes montado no Aeroporto de Hannover. O grande destaque foi uma edição especial do novo Actros, modelo top de linha da marca, a série Special Edition 1, limitada a 400 unidades, que já incorpora tecnologias antecipadas pelo caminhão com direção autônoma, o Future Truck, apresentado no salão anterior há dois anos.

As câmeras-espelhos melhoram exponencialmente a qualidade de visão do motorista

Uma das novidades é a utilização de câmeras-espelhos instaladas na cabine. A Mercedes-Benz garante que as melhorias aerodinâmicas proporcionadas pela menor área de atrito com o ar podem reduzir em até 5% o consumo de combustível.

O presidente da Mercedes-Benz do Brasil, Philipp Schiemer, presente na coletiva, acrescentou que a câmera aumenta exponencialmente a qualidade de visão do motorista: “Mesmo à noite ou na chuva, a visão do motorista é como se fosse um dia de sol”, destacou. Ele também disse que ainda não há previsão de chegada da nova linha ao mercado brasileiro. Recursos tecnológicos dependem de infraestrutura viária e mapeamento digital de rotas, ainda inexistentes no Brasil.

Outra novidade é a nova função de detecção ativa de pista que intervém com movimentos corretivos da direção, se necessário. O novo “Active Brake Assist 5” agora consegue também reagir com frenagem total emergencial se identificar risco para pedestres. Um elemento-chave dos sistemas de assistência do novo Actros é o “Sideguard Assist”, introduzido com sucesso há dois anos e que elimina os pontos cegos, detectando, por exemplo, a presença de um ciclista na lateral do veículo.

Caminhões autônomos   ganham escala comercial

Numa parceria exclusiva com a Grunner, empresa de tecnologia para o campo, a Mercedes-Benz apresentou no Salão Internacional de Hannover o primeiro caminhão da marca com direção autônoma a ser utilizado numa operação diária regular na colheita de cana. Trata-se do extrapesado Axor 3131, num inédito modelo fora de estrada que já opera 24 horas na colheita de cana-de-açúcar no interior de São Paulo, região considerada a maior produtora do País.

O Axor 3131 com direção autônoma tem capacidade de carga de 40 m3 ou 18 toneladas

Recentemente a Volvo, que foi pioneira no lançamento de caminhões autônomos no Brasil, fez a primeira entrega comercial do mundo de caminhões com tecnologia autônoma para aplicação canavieira no Grupo Usaçucar do Paraná (veja mais detalhes na página 25).

Líder no segmento de transbordo nas lavouras de cana, o Axor 3131 com direção autônoma chega com capacidade de carga de 40 metros cúbicos ou 18 toneladas. A cada quatro transbordos ele carrega um treminhão, aumentando a produtividade. Isto porque a configuração original 6×4 foi adaptada para um 8×4.

Esta operação vem ocorrendo 24 horas na Agro Cana Caiana, região de Lençóis Paulista. Depois da introdução da tecnologia autônoma, a produtividade foi de 69 para 117 toneladas por hectare. Ou seja, ao evitar com  recursos de georreferenciamento o pisoteamento dos brotos, a usina praticamente dobrou sua produtividade.

Duas unidades já foram vendidas. Mas a solução é tão eficiente e rentável que já começou a conquistar outros clientes do setor canavieiro. “Mais 16 caminhões Axor 3131 de direção autônoma foram negociados neste mês para realizar a operação de colheita de cana, o que já é o primeiro fruto da parceria da Mercedes-Benz com a Grunner”, destaca Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Com bitola de três metros e suspensão mista metálica e pneumática, o Axor 3131 autônomo atua lado a lado com as colhedoras de cana, também de condução autônoma, que fazem a colheita e o corte, já lançando a cana picada diretamente na carroceria do caminhão. A velocidade média dos veículos gira em torno de 6 km/h na área da colheita.

Terminado o carregamento, o motorista assume o controle do Axor para a etapa de transbordo aos treminhões, ou seja, o descarregamento da carga nos caminhões de maior capacidade.

A Mercedes-Benz lidera o segmento off-road com 50% de participação de mercado.

 

Compartilhar

Deixe um comentário