EDITORIAL – Nosso número 200

0

Mercedes - Virada

Parece que foi ontem. Mas, não. Lá se foram 34 anos desde o lançamento do número um da Carga Pesada, em janeiro de 1985, ainda com o nome de Jornal do Caminhoneiro. Esta que você está lendo é a nossa edição 200. Não é pouca coisa.

Quando paramos e olhamos para trás, percebemos quanta coisa mudou. O Brasil, no início da nossa jornada, era um país que ainda estava saindo de uma ditadura de 20 anos. A economia era um desajuste só, muito pior que hoje. Quem viveu aquela época de inflação descontrolada sabe do que estamos falando.

Embora após quase 35 anos o Brasil continue predominantemente rodoviário, o transporte também evoluiu muito. Os caminhões e implementos ganharam muito mais capacidade de carga e a tecnologia embarcada passou por uma verdadeira revolução. Quando lançamos nosso primeiro número, ninguém podia imaginar, por exemplo, que seria possível saber a distância onde exatamente se encontra um determinado veículo e como o motorista está se comportando ao volante.

Por outro lado, ao fazermos esse balanço, também percebemos que muita coisa continua igual. A infraestrutura rodoviária brasileira continua precária, o frete segue bem aquém do necessário, o caminhoneiro permanece sem ter lugar decente para dormir e as mulheres que adotaram a profissão não têm nem banheiro específico para utilizar na estrada.

O transporte também continua sendo um setor em que as leis “não pegam”. Quer alguns exemplos? Não pegou a lei do pedágio. Não pegou a lei do descanso (12.619), que teve de ser substituída pela 13.103. Não pegou a legislação em torno do Ciot (Código Identificador da Operação de Transportes), que pretendia moralizar o setor. Ainda encontramos carta-frete sendo trocada em postos de combustíveis.

Por isso, nós, da Carga Pesada, queremos continuar nessa estrada. Queremos seguir apontando o dedo para o que não está certo e comemorando o progresso.

E, principalmente, desejamos permanecer contando com você, leitor ou leitora.

Muito obrigado.

Mercedes - Virada
Compartilhar

Deixe um comentário