Transpanorama recebe certificação ISO 39001

1

DAF - XF105

Empresa de Maringá é a segunda a contar com o certificado entregue pelo Tecpar

Fonte: assessoria de imprensa

João Luiz Buzzi, da Scania, Valdecir Adamucho e Claudio Adamuccio, da Transpanorama, Rafael Rodrigues, do Instituto Tecpar, Afonso Shiozaki, do Setcamar, e Francisco Favoto, da Prefeitura de Maringá

A Transpanorama Transportes é a segunda empresa do Brasil a receber a certificação da ISO 39001, que trata sobre a gestão da segurança viária e está ligada à Organização das Nações Unidas (ONU) como objetivo para a redução de acidentes e mortes no trânsito.Ontem, quinta-feira (11), os diretores do órgão auditor, o Instituto Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná), estiveram na empresa para fazer a entrega do certificado.Na oportunidade, o engenheiro Rafael Rodrigues, diretor de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Instituto Tecpar, fez uma palestra sobre os benefícios para toda a sociedade de se trabalhar a segurança viária.

CAMINHO PARA OBTER A CERTIFICAÇÃO

A auditoria foi feita pelo Instituto Tecpar nos dias 13 e 14 de março, na sede da Transpanorama em Maringá (PR). Foram auditados todos os processos de gestão da segurança viária da transportadora, o que envolveu 50 requisitos e vários colaboradores do administrativo, da logística e da manutenção. A Transpanorama foi recomendada para a certificação sem “não-conformidades”.

“Trabalhar para obter a certificação foi um processo importante, que já trouxe melhorias para o dia a dia de trabalho. Agora, com a certificação aumenta a responsabilidade de todos os colaboradores em manter a segurança no topo da nossa atenção e prioridade”, diz Leandro Pardinho, gerente de SESMT da Transpanorama.

Todo o escopo de auditoria da ISO 39001 foi acompanhado pela área de Qualidade da transportadora, que também dá todo o suporte para as auditorias da ISO 9001 e da SASSMAQ. “Com a certificação da segurança viária a Transpanorama sobe mais um degrau na sua gestão e comprova para o mercado o que já é atestado no dia a dia, o compromisso que tem com a segurança”, aponta Cristina Berbert, gerente de Planejamento, Controladoria e Qualidade.

Entre as ações de segurança que a Transpanorama faz estão os treinamentos constantes sobre direção defensiva, comportamento seguro, política de álcool e drogas e blitz de segurança, atrelado a caminhões com tecnologia de última geração, programa estruturado de manutenção preventiva dos veículos e o respeito à Lei do Motorista. “A gestão da Transpanorama sempre prezou, antes de tudo, pela segurança. São mais de trinta anos de história, pelas rodovias brasileiras, e entendemos que ela, a segurança, é a principal parceira dos nossos motoristas e, consequentemente, dos serviços que prestamos”, diz Valdecir Adamucho, diretor Comercial da Transpanorama.

A segurança está na identidade da Transpanorama, pois é um de seus valores. Após a obtenção da certificação, a empresa entende que os trabalhos voltados para este item continuam. “Toda a nossa equipe está mobilizada em fazer que essa conquista seja uma verdade vinte e quatro horas por dia. A segurança e a excelência são dois objetivos que sempre trabalhamos internamente”, diz Claudio Adamuccio, diretor Administrativo da Transpanorama.

Scania - Consorcio
Compartilhar
Transpanorama - A 2 maior

1 comentário

  1. Carlos Azevedo em..

    Parabéns à Transpanorama que agora segue os passos da Jaloto, obtendo a certificação ISO 39001, em gestão da segurança viária.

    Esperamos que outros transportadores também adotem estes programas para a melhoria da segurança e cooperação dos motoristas no trânsito, nas estradas brasileiras. Dirigindo pelo Nordeste, Sudeste e Sul percebo a diferença na condução dos motoristas nestas Regiões do Brasil. Os conterrâneos do Nordeste, que nunca tiveram acesso, ou pouco acesso tiveram aos treinamentos na condução segura de seus caminhões, tem mais dificuldade em lidar com a situação.

    Todos ao se habilitar deveriam ter aulas, ainda que em simuladores, em função da segurança, em todos os tipos de veículos. Só assim os candidatos à CNH de uma categoria entenderiam as dificuldades práticas do outro condutor nas estradas Brasil afora. Esta medida reduziria os acidentes a números mínimos e a mortalidade no trânsito por KM rodado se equipararia ao de países mais evoluídos em segurança nas estradas.

    Falam muito de burocracia e regras e elas realmente atrapalham mais do que ajudam. Porquê? A resposta é simples. Como nada, ou quase nada é seguido de forma esclarecida/consciente, acredita-se que desrespeitar as regras é apenas um mero detalhe. Quando vemos motos (mais ágeis), veículos leves (mais velozes), fazendo ultrapassagens sem qualquer respeito ao próximo e sem qualquer margem de segurança ao imprevisível, temos o retrato da nossa elevada taxa de mortes no trânsito. Por sua vez, quando faltam recursos para caminhoneiros manterem corretamente seus caminhões, em função de fretes baixos, que os obriga a comprometer a sua segurança e a dos outros, rodando com pneus carecas e/ou em péssimo estado, sistemas de freio sem manutenção e suspensões estouradas pelos nossos pavimentos lunares e pelas diversas lombadas fora de padrão em todo o território nacional, percebe-se o cenário de filme de horror a que chegamos nas últimas décadas.

    Ou o Governo recentemente eleito, cumpre suas promessas de campanha de melhorar a vida dos profissionais do volante, ou continuaremos com este caos nas Estradas brasileiras, onde a Lei de Gérson, propalada nos anos de 1976, continuará a ser aplicada em nosso trânsito, em desfavor da necessária segurança viária, que todos precisam.

Deixe um comentário