Paradiso Giovanella adquire 129 caminhões Volvo FH

1

Scania - NTG LD

Transportadora de aço e leite aponta uma redução de 6% na média de consumo de combustível

Figurando entre as líderes brasileiras no transporte de aço e leite, a Paradiso Giovanella Transportes está conseguindo excelentes resultados com a nova tecnologia de Aceleração Inteligente do Volvo FH. “Estamos contentes com o desempenho dos caminhões. Os novos Volvo têm grande disponibilidade e são mais econômicos. Em nossa operação, eles estão até 6% mais econômicos que os veículos da linha anterior”, declara Jean Giovanella, diretor-proprietário da empresa.

Com veículos percorrendo diariamente as estradas de todo o País, principalmente no Sul e no Sudeste, a transportadora tem 129 caminhões FH 540cv 6×4 da linha 2020. “Nossos caminhões são reconhecidos mundialmente por sua grande disponibilidade, baixo consumo de combustível e muita segurança. E a linha 2020 está ainda mais econômica, chegando até a 10% de redução, dependendo da operação de transporte”, afirma Alcides Cavalcanti, diretor comercial de caminhões Volvo no Brasil.

Uma média de 6% de redução é um resultado excelente e uma economia substancial para quem tem uma frota que não para. Os FHs da Paradiso Giovanella que transportam bobinas de aço, por exemplo, rodam cerca de 12 mil quilômetros por mês, percorrendo diferentes trechos em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina. “Numa atividade com margens estreitas, tem que trabalhar com escala e fazer muitas contas. Qualquer ponto percentual de economia é muito importante para a operação”, explica Giovanella.

Para o transporte rodoviário de aços planos a transportadora usa FHs com motorização de 540cv, caixa de câmbio I-Shift e configuração 6×4, puxando uma composição de 9 eixos. Transportando bobinas de 6 toneladas até 30 toneladas para alguns dos principais players do setor (CSN, Arcelor e Usiminas), em viagens de aproximadamente 700 quilômetros, a frota total de veículos da empresa neste segmento transporta cerca de 1,4 milhão de toneladas de aço por ano.

Compartilhar

1 comentário

Deixe um comentário