Beija-flor é o primeiro posto da Total no Brasil

0

DAF - XF105

A Total é uma petroleira francesa recém-chegada ao Brasil e decidida a disputar o mercado com outros 150 distribuidores

LUCIANO ALVES PEREIRA

O Beija-flor é o posto número 1 e está reidentificado por marca, cores e jeitão da nova bandeira. Pretende ser o marco de partida da Total, junto ao que ela chama de clientes revendedores e finais. Ou seja, desde a rede de distribuidores até os consumidores.

Fica na BR-262 Oeste, km 360, junto à ponte do rio Paraopeba, município de Betim (MG). Suas instalações não são de agora e a designação de outrora era Posto Olaria (ver Carga Pesada, dezembro 2018, pág. 34).

O ‘figurino’ da Total tem personalidade, visando “ser significativo no país”, conforme palavras de Antoine Tournand, CEO da Total Distribuidora, no evento de inauguração do Beija-flor (22 de agosto).

Na reforma do Beija-flor, houve mudanças de monta. Para Norberto Neiva, o gerente do posto, “os banheiros ficaram comparáveis aos de shoppings, seja pela limpeza e/ou materiais empregados (boxes de blindex)”.

PROMESSAS – Por sinal, limpeza foi uma das cinco promessas apresentadas por Tournand no evento. “A limpeza das estações reflete nosso comprometimento.” E seguem simplicidade, proximidade, responsabilidade e segurança. Não necessariamente nesta ordem.

Aos ouvidos do brasileiro a afirmativa mostra-se corajosa, considerando o nosso instável ambiente estradeiro. Seria acolhedor se o executivo da Total acenasse, por exemplo, com proposições sobre áreas controladas para pernoite dos caminhoneiros, reforçando o discurso da segurança. Por sinal, assunto que a Total conhece bem, por sua atuação na Europa.

Diante de sua passagem ao largo, tem-se de levar em conta as palavras, meio que explicativas, de outro executivo da Total, Momar Nguer, diretor de marketing e serviços da petroleira. Tocando de leve no quadro atual brasileiro, ele acha que “não é o Brasil que está complicado, é o mundo que está… e o papel da empresa é adaptar-se ao cenário”.

Nguer confirmou a já divulgada aquisição da rede de 280 postos, a maior parte situada nos Estados de Minas, Goiás e Mato Grosso. “É claro que esse foi o primeiro passo. A ambição da Total não pode ser ter 280 postos de serviços no Brasil. Não é o que nós somos, temos mais de 14 mil no mundo.” A intenção da companhia é dobrar de tamanho nos próximos três a cinco anos, com destaque para São Paulo, “de longe, o maior mercado brasileiro”.

Por falar em tamanho, Jorge Guedes, dono do Beija-flor, lembrou-se da classificação da Total (4º lugar) no ranking mundial das petroleiras e mostrou-se impressionado com sua visão nas questões de segurança, “como eu acompanhei aqui durante a ‘conversão’ ao novo visual”. Os próximos postos a trocarem de visual ficam em Araxá e Uberlândia, ambas em MG, mas a ‘virada’ de toda a rede levará mais tempo: até 2021, informa a Total.

Scania - Consorcio
Compartilhar
Fenatran - Você na Rota

Deixe um comentário