Começam a valer as novas regras de trânsito

1

Cons. Scania - Dreamline

Veja quem defende e quem critica as alterações em debate realizado pela Revista Carga Pesada

Começam a valer nesta segunda-feira (12) as novas regras do Código de Trânsito Brasileira, sancionadas em 13 de outubro de 2020 pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Uma das principais alterações é que os motoristas que não tiverem nenhuma infração gravíssima perderão a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) somente quando atingirem 40 pontos e não mais 20 pontos.

Para aqueles que têm uma infração gravíssima, o limite será de 30 pontos e, com duas ou mais infrações gravíssimas, a pontuação máxima voltará a ser de 20 pontos.

Já os motoristas profissionais, mesmo que tenham infração gravíssima, só perderão a CNH aos 40 pontos.

A nova lei divide as opiniões. Para alguns, elas vão resultar no aumento de acidentes de trânsito. Para outros, são benéficas porque visam desburocratização e redução de custos para os motoristas.

Em debate promovido pela TV Carga Pesada logo após a sanção da lei, essa divisão de opiniões ficou bem clara. De um lado, o especialista em segurança no trânsito J.Pedro Correa e a coordenadora do Programa Volvo de Segurança no Trânsito, Anaelse Oliveira, criticaram as mudanças.

De outro, o engenheiro especialista em segurança no transporte de carga Rubem Penteado de Melo e o caminhoneiro de Contagem (MG) Wellington da Torre as defenderam.

Veja no vídeo:

LEIA TAMBÉM

Exame toxicológico agora tem de ser feito a cada 2,5 anos

 

 

Mercedes - As estradas falam
Compartilhar

1 comentário

  1. Mais uma vez somos prejudicados pelos “donos” do Brasil
    Teremos de fazer exame taxológico a da 30 meses, viva o LOB dos laboratórios.
    Exame inútil da forma que é realizado, deveria ser feito in-loco pela as autoridades competentes!
    Se acaso o motorista for pego sob efeito de drogas, caça-se a CNH, prende durante um tempo e assim creio que a diminuição de irresponsáveis em nossas rodovias!
    Não acho que deveria ser pra todos, profissionais e não, mas que se realmente houvesse uma verdadeira vontade de punir os infratores ai sim!

Deixe um comentário