VW - Meteor

Sindicatos são contra greve no dia 7

3

Iveco - A cada curva

Entidades dizem que participação em protesto deve ser decisão pessoal e não da categoria

Nelson Bortolin

Entidades que representam os caminhoneiros são contrárias à paralisação de veículos no feriado de 7 de Setembro (terça-feira). A greve está sendo convocada nas redes sociais por aliados do presidente Jair Bolsonaro. Uma das reivindicações é o afastamento de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que tomaram decisões contrárias aos interesses do governo federal.

“Não há nenhuma pauta neste movimento que diga respeito diretamente aos caminhoneiros”, afirma o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros de São Paulo (Sindicam-SP), Norival Almeida Silva. “Como cidadão, o caminhoneiro pode participar ou ser contra, mas não vamos colocar a entidade nessa paralisação”, afirma ele, que também é presidente da Federação dos Caminhoneiros do estado, a Fetrabens.

Ariovaldo Júnior Almeida, do Sindicam de Ourinhos (SP), também é contra a paralisação. Para ele, os caminhoneiros estão sendo usados pelos produtores rurais devido a uma queda de braço entre o agronegócio e o STF a respeito do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), imposto cobrado sobre a receita bruta da produção dos empregadores rurais. Parte do valor arrecadado com o Funrural é usada pelo governo federal para financiar os benefícios previdenciários dos trabalhadores rurais, como auxílio-doença e aposentadoria.

“Há agricultor e tradings (empresas que fazem exportação dos produtos agrícolas) com dívidas bilionárias de Funrural e estão pressionando o Supremo para serem anistiados”, denuncia o sindicalista. Interpretações sobre a constitucionalidade do imposto pela própria Justiça fizeram com que produtores deixassem de recolher o Funrural de 2010 até 2021. “Não conheço nenhum sindicato de caminhoneiro no País (são cerca de 140) que esteja participando dessa paralisação”, alega.

Júnior diz manter contato “muito próximo” com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e afirma que o próprio governo é contra qualquer paralisação dos caminhoneiros. “O patriotismo toca muito no coração do caminhoneiro e estão usando esse sentimento para enganar a categoria. Mas não vai haver paralisação”, aposta.

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) divulgou nota segundo a qual as manifestações do 7 de setembro “não carregam em seu escopo nenhuma reivindicação específica relacionada à atividade profissional do caminhoneiro autônomo”. Mas a entidade diz que não pode “se furtar de que o caminhoneiro autônomo antes de tudo é um cidadão brasileiro e, consequentemente, um sujeito de direitos e obrigações, detendo toda a condição de participar livremente na construção coletiva de uma sociedade mais justa, igualitária e solidária”. “Desse modo, eventual participação de um caminhoneiro na manifestação do dia 7 de setembro representará a vontade individual desse cidadão brasileiro, que decide por si próprio exercer seu direito de livre manifestação e liberdade de expressão.”

Já a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL) repudiou o cantor sertanejo Sérgio Reis, que, além de convocar os caminhoneiros para greve a partir do dia 7 de setembro, ameaçou a categoria em mensagem trocada pelo WhatsApp (‘Ai do caminhoneiro que furar esse bloqueio’).

O diretor da entidade e presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Ijuí (RS), Carlos Alberto Dahmer, o Litti, mandou ofício ao presidente do STF, Luix Fux, defendendo a corte. “Excelentíssimo ministro, viemos, por meio deste ofício, externar o nosso repúdio às declarações do cantor, Sérgio Reis, e de pseudo-lideranças de caminhoneiros que convocaram pelas redes sociais um ato antidemocrático, com características extremistas, para o próximo dia 7 de setembro”, diz o documento.

“Defendemos o aprimoramento do regime democrático, mas dentro do Estado de Direito e que esteja em consonância com os sistemas já constituídos: Executivo, Legislativo e Judiciário. Para nós, qualquer manifestação que verse contra essas instituições não terá o apoio da CNTTL e dos transportadores autônomos de cargas e celetistas.”

No mesmo ofício, Litti disse que os assuntos que realmente interessam à categoria são: constitucionalidade do piso mínimo de frete; retorno da aposentadoria especial aos 25 anos de serviço; e voto em trânsito.

Volvo Trucks 2021
Compartilhar
Truckscontrol 2021

3 Comentários

  1. Infelizmente somos uma categoria desenformada e manipulada por qualquer papa furado, basta ver os caminhões que se posicionaram na esplanada dos ministérios!
    A maioria esmagadora eram de grandes empresas como uma que domina o tráfego fluvial no Rio Amazonas. Essa empresa fabrica carretas, balsas e um monte de estrutura para seus negócios, e lá estavam caminhões dela em Brasilia.
    Pior de tudo isso que não existe uma pauta, o que existe são “marionetes” fazendo e falando o que mandam seus comandantes!
    Se o Brasil está ruim sem a estrutura do três poderes; legislativo, judiciário e executivo, muito pior ficará sem eles, pois assim somente um homem com a cabeça doentia faz o que bem entende e ninguém poderá detê-lo!
    Fico triste em ouvir de um colega na cidade de Pilar de Goiás, onde ia descarregar que o Brasil nunca esteve tão bom como agora, que toda a roubalheira acabou e que está sendo governado por um presidente exempla.
    As exportações estão batendo recorde atrás de recorde e nosso povo passando fome e ou comprando alimentos a preços abusivos!
    Nem se pode continuar a conversa, pois corre-se o risco de uma agressão por essa gente desinformada que estão defendo o indefensável!
    Na verdade, penso que só acordarão quando tudo estiver acabado, espero que acordem antes!

  2. Muitos que aqui comenta, perguntam: pra que serve o sindicato?
    Minha resposta; serve exatamente para proteger e lutar pela categoria assim como faz os empresário que de vinculam a um sindicato ou federação para buscar e lutar por seus interesses!
    Pena que a maioria esmagadora de sindicato de classe como os que se dizem representar os caminhoneiros são pelegos e atrelados ao poder, se tornaram verdadeiros PELEGOS.
    Fazem festinhas com bebidas e churrasco para manter sua prole enganada.
    Sindicato é para lutar pelo interesse da classe que ele diz representar, e não para fazer festinhas e star em todas as comemorações do patrão que nesse caso, ministros!
    Está sobrando PELEGOS e faltando combatentes!
    Muitos se tornaram deputados, escreve ai!

Deixe um comentário