VIDA NA BOLEIA: Sobram vagas, mas exigência é alta

0

Volvo Zero Acidentes

Na Braspress, proximidade da família é um dos principais atrativos

O transporte rodoviário de cargas é um dos setores que mais ofertam vagas no País atualmente. Mas, para conseguir uma oportunidade nas melhores empresas, é preciso ter qualificação e postura profissional.
A Braspress é uma das transportadoras mais desejadas por quem procura trabalho de caminhoneiro. Um dos principais diferenciais da transportadora é o sistema hot seat (banco quente, na tradução literal do inglês), no qual há revezamento de motoristas numa mesma rota.

A gerente Nacional de Recursos Humanos da transportadora, Sarita Magnan, explica como funciona: “Um motorista sai hoje à noite por exemplo de Guarulhos, que é a cidade dele. Amanhã cedo, ele está em Londrina. Vai fazer o descanso na nossa base de lá. A carreta segue a rota com outro motorista. E amanhã mesmo (à noite), esse motorista de Guarulhos pega outra carreta para dirigir de volta para casa.”
Ninguém fica longe da família por muito tempo. “Esse é um atrativo importante. Os motoristas querem ver seus filhos crescerem, querem ter qualidade de vida”, alega.

O sistema exige um nível alto de organização para que as carretas possam rodar 24 horas por dia. “Essa gestão é feita por nossa torre de controle com o tráfego rodoviário”, conta. “É necessária uma sincronia operacional muito grande”, admite.

Antes de cada viagem, de acordo com a gerente, o empregado passa por consultas com enfermeiras e psicólogas, nas quais são feitos exames como o de glicemia e teste de sono. “Tem sempre alguém olhando por ele.”

A Braspress não tem dificuldade para encontrar mão de obra no mercado. Mesmo assim, mantém um programa interno de formação de motoristas. “Colaboradores que chegaram na empresa nas mais diversas funções, como a de analistas de RH, são incentivados a virarem condutores.”

Os salários geralmente compensam a troca. Um motorista de distribuição urbana ganha o correspondente ao de analista de nível intermediário. Já o condutor que atua nas operações de transferência tem remuneração equivalente à dos especialistas nas demais áreas da empresa. E um motorista de bitrem tem salário de supervisor. “Não precisa nem ter CNH. A Braspress inscreve a pessoa numa autoescola, financia a habilitação e oferece treinamento teórico e prático para os novos motoristas.”

Segundo Sarita, a maior parte dos recrutados fora da empresa são indicados pelos próprios colaboradores. Mas quem quiser pode enviar currículos para [email protected]
Quando decide abrir uma nova filial, a empresa lança mão de suas redes sociais.

PERFIL

Têm preferência na Braspress motoristas que permaneceram empregados por longos períodos em outras empresas. “Buscamos alguém que vai continuar com a gente por muitos anos. Alguém para se aposentar na Braspress”, justifica.

Além disso, uma boa comunicação é bastante importante na hora da seleção. “A postura do profissional é fundamental porque é ele que leva o nome da empresa.”
Conhecimentos de mecânica, legislação no trânsito e direção defensiva são outros pontos que pesam bastante no processo seletivo.

Provavelmente a Brapress seja a transportadora brasileiras que mais emprega mão de obra feminina na boleia. Dos cerca de mil motoristas, 30% são mulheres. Elas são contratadas desde a década de1980.

LEIA MAIS

‘É melhor ser empregado’, dizem motoristas

Prova de português e matemática

Grupo investe em formação

Leis favorecem “máxima exploração” do caminhoneiro, diz procurador

Volvo Zero Acidentes
Compartilhar
DAF - Homenagem

Deixe um comentário