VWCO Meteor da Paixão

Caminhão autônomo aumenta produtividade da cana

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

É o primeiro autônomo brasileiro e foi apresentado em Maringá

A Volvo apresentou nesta quarta-feira (31), em Maringá (PR), o primeiro caminhão autônomo desenvolvido no Brasil já testado em uma operação real e comercialmente viável. O novo veículo é destinado ao segmento sucroalcooleiro, um dos mais importantes do agronegócio brasileiro.

Com uma solução desenvolvida pelos especialistas da marca no país a partir de tecnologias já disponíveis globalmente no Grupo Volvo, o VM Autônomo foi projetado para eliminar a perda de produtividade provocada pelo pisoteamento de soqueiras (brotos) pelo caminhão durante a colheita da cana. O problema é responsável por prejuízos que giram em torno de 12% da produção anual de cana-de-açúcar. O caminhão autônomo, sozinho, elimina 4% dessa perda.

Só para se ter uma ideia, se todos os 400 caminhões que fazem o transbordo da cana na Usaçucar – Usina Santa Terezinha de Maringá (PR) utilizassem o veículo autônomo, a economia anual para a empresa seria de R$ 50 milhões.

Presidente da usina, Paulo Meneghetti comemorou o lançamento. “Como tem memória de GPS da área plantada, não existe risco de o caminhão pisotear a cana. Ele tem uma precisão muito grande. No caminhão normal, o motorista faz o trabalho no olho. Não tem dirigibilidade constante e acaba passando por cima da cana trazendo impacto negativo na produtividade.”

Vice-presidente de engenharia do Grupo Volvo América Latina, Gilberto Ribas comentou:  “É um sistema extremamente avançado, desenvolvido a partir de tecnologias já disponíveis comercialmente no Grupo Volvo para aumentar a eficiência da operação de transbordo de cana”, A nova tecnologia zera a queda da produtividade por pisoteamento pelo caminhão durante a colheita. O veículo roda autonomamente pelas lavouras com uma precisão de 2,5 centímetros na direção, uma exatidão que não seria conseguida pelo motorista.

“O segmento sucroalcooleiro trabalha com grandes volumes de produção e precisa reduzir ao máximo as perdas em todas as etapas da cultura. Todo ganho de produtividade faz uma grande diferença na rentabilidade do negócio”, diz Ribas.

AUTOMAÇÃO ADEQUADA

“A tecnologia do novo VM é avançada e foi desenvolvida para atender a demanda do setor, para garantir a produtividade durante a colheita da cana. É uma tecnologia que resolve o problema de precisão, que é humanamente impossível de conseguir, inclusive nas manobras em marcha ré”, explica Roberson Oliveira, gerente de projeto de engenharia avançada do Grupo Volvo América Latina.

Depois do mapa digital do canavial ser inserido no computador de bordo do caminhão, a solução da Volvo reconhece precisamente as linhas da plantação, evitando o pisoteamento. O papel do condutor é conduzir o veículo até o início da linha na lavoura, encontrando a rota a ser seguida, e depois retirá-lo da plantação para fazer o transbordo nos veículos de transporte que levarão a carga até a usina de açúcar.

O VM Autônomo desenvolvido para a colheita da cana-de-açúcar mecanizada é um caminhão de 6×4 eixos, com pneus de alta flutuação, mas dotado de outros modernos equipamentos.

TECNOLOGIAS VOLVO

O sistema é composto por duas antenas GPS de alta precisão (GNSS/RTK), parte do sistema VDS (Volvo Dynamic Steering, o revolucionário sistema de esterçamento da marca), dois giroscópios de alta sensibilidade e um display posicionado no interior da cabine do caminhão, que funciona como interface homem-máquina. “É uma solução extremamente inovadora, desenvolvida a partir de tecnologias já disponíveis comercialmente no Grupo Volvo”, diz Roberson Oliveira.

Além de parte do VDS da Volvo Trucks, o novo veículo assimilou, por exemplo, o Co-Pilot da Volvo Construction Equipment, e também dispositivos da Volvo Penta e da Volvo Bus, respectivamente para o posicionamento do caminhão nos mapas e para a integração na arquitetura eletrônica do veículo.

O VM Autônomo utiliza a tecnologia RTK (Real Time Kinematics) para geolocalização. Usando unidades de medição de inércia, os chamados giroscópios, o sistema identifica detalhadamente a inclinação e o deslocamento do veículo, tanto da cabine como do chassi, bem como seu movimento relativo, inclusive a angulação do terreno. O controle lateral do caminhão é extremamente preciso, justamente para que os pneus não passem por cima das soqueiras. “Está no DNA da Volvo ser a vanguarda tecnológica do setor de transporte. Esta é mais uma solução inédita para o mercado”, finaliza Ribas.

Display posicionado no interior da cabine do caminhão, que funciona como interface homem-máquina

SOB ENCOMENDA

O caminhão autônomo da Volvo só estará disponível em escala comercial e industrial daqui a dois ou três anos. Por enquanto, a montadora se compromete a atender demandas específicas como o caso da Usina Santa Terezinha.

A Volvo também anunciou nesta quinta-feira que lançará um aplicativo para caminhões não autônomos. A novidade vai evitar que o veículo pisoteie a cana.

Veja vídeos do lançamento produzido pela Volvo e da cobertura feita pela Carga Pesada.

Truckscontrol
Compartilhar

Deixe um comentário