VWCO Meteor da Paixão

Maior posto estradeiro do mundo tem 3.500 vagas

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

O conceito cara-chata não conseguiu avançar nos EUA, é o que observou o visitante de Congonhas (MG)

 Luciano Alves Pereira 

Para o fiel cumprimento da Lei 12.612, que regulamentou a profissão de motorista do transporte rodoviário de cargas e passageiros, haverá necessidade da criação de muitas vagas de estacionamento para caminhões nas estradas, para que os motoristas possam descansar – principalmente à noite.

O governo fugiu desse tema, ao vetar os artigos da lei que, por exemplo, obrigavam concessionárias de rodovias a fazer esses estacionamentos, mas a questão continua aberta. É possível, por exemplo, que os donos de postos estradeiros se interessem pelo negócio.

Talvez pensando nisso, a petroleira Ipiranga tomou a iniciativa de levar um grupo de 30 de seus revendedores para conhecer alguns postos de estrada nos EUA. A viagem ocorreu em abril e durou oito dias. O destino foi Chicago, a partir de onde foi possível visitar, entre outros, o Posto Iowa 80, a cerca de 300 km de lá. Ele fica na interestadual I-80, uma troncal que liga Nova York a San Francisco, na costa oeste, passando por mais de dez estados.

Na realidade, o Iowa 80 é um truckstop (parada de caminhões) privado, que iniciou atividades em 1964, na localidade de Walcott, Estado de Iowa, saída 284 da rodovia, não muito distante do rio Mississipi.

Na comitiva estava Wagner Henriques Xavier, empresário mineiro do ramo desde longa data e proprietário do Posto Profetas, situado no km 614,6 da BR-040, município de Congonhas (MG). Segundo ele, o Iowa 80 é o tido como o maior posto do mundo. Não é para menos: seus números são gigantescos.

O empreendimento ocupa um terreno de 340 mil m², equivalente a 34 campos de futebol, capaz de acolher 3.500 carretas clássicas americanas (cavalo 6×4 + semirreboque de 2 eixos), além de 1.500 automóveis. “É grande desse jeito porque fica numa região sujeita a nevascas, sendo obrigado, às vezes, a receber grande número de caminhões impedidos de continuar viagem”, diz Xavier.

Para movimentar uma estrutura assim é preciso ter receita, e esta provém da venda de mais de 8 milhões de litros de combustíveis por mês, sendo mais de 80% relativos ao diesel. Há outras receitas. Conforme o empresário, além de truckstop, o I-80 é um mega-truckcenter. “Ali o caminhoneiro pode resolver todas as suas necessidades, seja para o caminhão ou para si”.

Com a ressalva de que “tudo é pago”. A loja de peças, acessórios e pneus foi uma de suas citações. Ela tem 4 mil m² de galpão e dispõe de  equipe de mecânicos e instaladores. Na pista há um lavador de caminhão, do tipo lava-jato, que cobra US$ 80 por hora. Utiliza-se de água reciclada e o serviço só por fora leva 20 minutos.

O posto tem balança rodoviária e guincho pesado para resgate externo. Nada é de graça, mas, se o caminhoneiro precisar de médico ou dentista, sempre tem um de plantão. Lavanderia, padaria, salas de cinema e TV, barbeiro e banho (este a 11 dólares). No restaurante há fartura – e ofertas bem ao gosto dos americanos. Por exemplo, um hambúrguer de 2 kg a 22 dólares. Leva 1,2 kg de carne bovina, mas, se o freguês, conseguir comer um inteiro, não paga nada.

Como fecho de ouro, o posto conta com um museu de bom acervo dedicado ao mundo caminhonístico, onde o profissional jovem, por exemplo, pode verificar como foram difíceis os tempos pioneiros da vida na estrada.

Wagner Xavier: “Tudo nos postos americanos é pago”

Wagner Xavier se surpreendeu com a agilidade de determinados serviços, como o abastecimento dos caminhões, embora o posto não tenha frentistas. “É tudo muito rápido. O estradeiro passa o cartão num display junto ao abastecimento de diesel e libera o bico, que tem um rabicho chamado bico-escravo. Assim, ele enche os dois tanques ao mesmo tempo, confere o nível de óleo do motor e passa no parabrisa um rodo com um produto especial, que remove os mosquitos sem escorrer nem corroer a pintura. Tudo isso em incríveis 10 minutos”, diz o empresário, lamentando que um atendimento desses, no Brasil, leve, em média 40 minutos, “por causa da burocracia dos cheques e cartões.

Xavier gostou do que viu. Em sua opinião, “muita coisa pode ser trazida para os postos estradeiros daqui, especialmente agora que os caminhoneiros terão de se adequar aos seus tempos de volante”. O que mais o encantou foi a concentração do Iowa 80. “Todos os serviços e atendimento num mesmo local, abrangendo o veículo e seu condutor”.

Se o Brasil poderá entrar numa era assim, não se sabe. Ainda mais com “tudo pago”. Porque numa coisa estamos longe do padrão americano: os motoristas lá ganham uns 5 mil dólares por mês – algo em torno de R$ 10 mil.   

[media id=9]

Truckscontrol
Compartilhar

7 Comentários

  1. Anesio Roberti on

    O Iwoa80 é isso mesmo!!! extrema vocação de serviço!! reinventou o posto de combustivel… é parada obrigatoria pra todo caminhoneiro na rota… estratégicamente instalado a uma distancia de Chicago que passa a ser a primeira parada ( para o motorista que sai de Chicago) e a ultima parada antes de chegar a Chicago ( pra cumprimento dos regulamentos de horarios  de trabalho dos motoristas americanos)… O posto funciona 24horas por dia  dias por semana!!!    tem tudo o que seja de convenienca ao motorista.. desde acessorios a refeições.. passando por cinemas etc… vale a pena visitar e conhecer o conceito do Iowa 80,   tambem tem nos fundos uma coleção privativa de caminhoes antigos americano que contempla o Mack numero 01…..  linda preciosidade… um verdadeiro monumento ao segmento transportador…

  2. Nivaldo Baptista on

    Quando será que um grupo de empresários vai investir em um  projeto deste,na visão de muitos os caminhoneiro são duro e e os que estão apostando no motorista esta saindo na frente, temos muitos postos com otimo atendimento e outros que só pensa em vender oleo esquecendo que caminhoneiro come bebe veste revisa caminhão compra lembrança para familia prescisa de higene.Descanço para automoveis as concessionarias que recebe pedágio também de caminhão já tem , são pequenos para os caminhoneiros, para somente carros,coitado da classe infelizmente são descriminados.

  3. teríamos que colocar brutamontes nas entradas para impedir motoristas sem camisas,calção e descalçosna parte de dentro colocar camarás de vídeo em todos os lugares para coibir os furtos, no estacionamento colocarvigias para olhar os próprios motoristas .lixeira a cada 2 metros e banheiros com funcionários permanentes dentro dosmesmo para não haver depredação.posto de combustível nesse nível nem daqui a 100 anos no brasil. veja osposto da rede Graal , excelentes postos,todo dia esses postos sofrem com a depredação dos motoristas.

  4. se o motorista ganha este salario quanto sera o frete, acredito que não e igual o frete brasileiro porque aqui se o dono do caminhao ganhar 10 mil por mes ja fez vantagem, e outra realidade. talvez um sonho.

  5. Pois então vamos lá: Nos EE.UU. não existe esta VERGONHOSA lei que inventaram no BRASIL sómente para empregados com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas, estou falando é dos Irmanaços AUTÔNOMOS que é a maioria no BRASIL e esta lei não nos contempla. Portanto somos MARGINALIZADOS e nunca teremos como cumprir esta LEI, sómente burlando os “esquemas” é que poderemos sobreviver.Já efetuei diversos comentários nesta página a respeito deste tema, e nunca foi publicado, sabe porque! Porque sou realista e trabalho duro como todos os AUTÕNOMOS e pra vocês minha opinião não serve de nada.Tenham coragem e publiquem…Att.

  6. Enquanto isso no Brasil estamos a merce de uma corja de GOVERNANTES e EMPRESARIOS MERCENARIOS e tudo mais que sabemos leis, regras, normas e restricões para caminhões que o setor de TRANSPORTE tem que PARAR (GREVE).

Deixe um comentário