VWCO Meteor da Paixão

Lei do Descanso: nos EUA, o assunto é sério

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Davi Baldussi, de Sioux Center (Iowa) eTulsa (Oklahoma), especial para a Carga Pesada

Enquanto no Brasil a recente Lei do Descanso – 12.619 – provoca discussões e resistências, nos Estados Unidos a jornada de trabalho do motorista de transporte de carga é regulamentada desde 1940. De vez em quando, a lei muda – para aumentar o descanso. A última vez foi em dezembro do ano passado: o limite de horas ao volante foi reduzido de 82 para 70 horas semanais. 

O caminhoneiro norte-americano pode trabalhar até 14 horas por dia. No volante, não pode passar de 11 horas. Nas outras três, o caminhão tem que estar parado. E ao fim das 11 (ou das 14) horas, ele tem que fazer um descanso de 10 horas.

Esses limites refletem o resultado de pesquisas que avaliaram a fadiga dos motoristas nas estradas, disse o secretário de Transporte dos Estados Unidos (equivalente a ministro no Brasil), Ray LaHood, quando o governo propôs a lei atual. 

Conforme dados do Instituto de Seguros dos Estados Unidos para Segurança Estradas, o risco de acidente, para o motorista de caminhão que fica ao volante mais de oito horas, é mais que o dobro do motorista descansado. 

Esses limites de jornada de trabalho são parecidos com os que estão em vigor no Brasil. Os motoristas americanos reclamam. Não do salário, que lá é melhor que aqui. Mas eles também sofrem pressões das empresas para cumprir horários impossíveis. Outra queixa é uma coisa só deles: são obrigados a anotar, num diário de bordo, os horários que cumpriram a cada dia. É o diário que os inspetores vão verificar, na estrada.  

Lá, a fiscalização é coisa séria – e a punição pode ser cadeia. Em 2011, os 12 mil inspetores federais e estaduais que fiscalizam os 7 milhões de caminhões existentes no país, realizaram 3,5 milhões de abordagens e verificações nas rodovias, resultando na comprovação de 1,2 milhões de violações. Desse total, quase metade – 578 mil – foi constatada no diário de motoristas: excesso de horas de trabalho, falsos diários, preenchimento desatualizado ou incorreto. A multa por não manter o diário atualizado é de 1 mil dólares por dia, podendo atingir até o valor máximo de 10 mil – mais de R$ 20 mil.

A reportagem da Carga Pesada conversou com vários caminhoneiros sobre o cotidiano deles.

Alan Turner preenche seu diário de bordo

Derrick Roskam, do Estado de Iowa, disse que o relatório diário é tão cheio de detalhes que existem vídeos no Youtube ensinando a preencher. “Eu até poderia arrancar uma folha e fingir que não trabalhei hoje, mas se um auditor viesse à minha casa e analisasse todos os meus diários dos últimos dois meses, ele perceberia que burlei a lei e me daria uma multa salgada”, contou Roskam. “Além disso, eles passariam a prestar mais atenção em mim no futuro”. 

Roskam disse que o registro diário existe há décadas. O assunto é tão sério que, em maio passado, o motorista Valerijs Nikolaevich Belovs, de 58 anos, foi sentenciado a 18 meses de prisão, após confessar que tinha falsificado seu diário no dia em que provocou um grave acidente na Virgínia”.

Allen Kroeze nunca se envolveu em acidentes. Ele também critica o detalhismo do diário. “Temos que especificar o número de horas dirigindo, carregando ou descarregando o caminhão, ou esperando em fila. O tempo perdido em espera não pode ser compensado como se fosse de descanso”. Também existem papéis relativos ao seguro e ao peso do caminhão para preencher, disse ele.

Kroeze é caminhoneiro há quatro anos. Em 2008, desembolsou 110 mil dólares (R$ 220 mil) por um caminhão e partiu para a estrada. “O gasto com manutenção é elevado, mês passado paguei 4 mil dólares por oito pneus, mas dá para ganhar algum dinheiro”, informou.  

Dois motoristas encontrados pela reportagem numa área de descanso em Tulsa, Oklahoma, têm experiências diferentes em relação ao diário de bordo.

David Lax: “Na empresa, sempre pegam o meu diário como exemplo”

O texano David Lax, na estrada há 19 anos, prefere preencher tudo direitinho, apesar do trabalho que dá. “Na empresa, sempre pegam o meu diário como exemplo. Na estrada, os fiscais não ficam me segurando, quando vêem que está tudo organizado”, conta David.

Alan Turner confessou que já desobedeceu a lei do descanso e se deu mal. “Uma vez, na Califórnia, fiquei detido 24 horas por ter ficado 20 horas ao volante e só fui liberado depois de pagar fiança”. Ele põe a culpa na empresa: “A companhia pressiona e você acaba rodando mais do que o permitido”. Em outra ocasião, passou pela balança e nem viu a sinalização. “Estava tão cansado que já não tinha reflexo e nem enxergava direito. Fui perceber a balança depois que já havia passado”. 

 

No Brasil, muito mais mortes do que lá

As estatísticas de acidentes de trânsito dos Estados Unidos dizem o seguinte: em 2010, 3.413 pessoas morreram em acidentes com caminhões de grande porte no país. Poucas dessas vítimas estavam nos caminhões – só 14%. Entre as demais, 72% estavam em veículos pequenos e 13% eram pedestres, ciclistas ou motociclistas. Em choques entre caminhões e carros, 97% das mortes foram dos ocupantes dos carros.

No Brasil, não temos dados tão precisos. Um estudo feito pela Pamcary, divulgado em 2009, informava que os acidentes com caminhões matam 8.000 pessoas por ano. Outra informação, constante no Portal Volvo de Segurança no Trânsito, diz que o número de mortes nesses acidentes chega a 12.000 por ano. O Brasil tem menos de 2 milhões de caminhões. O nosso índice de mortes é 14 vezes maior que o dos Estados Unidos. 

Truckscontrol
Compartilhar

15 Comentários

  1. aqui no brasil se for parar tudo isto de hora o banco vai tomar caminhao de muita gente/trabalhando deste tanto tambem nao esta dando para andar muito certo com as dividas para quem ja e dono de caminhao nao da para pagar as contas imagina o caminhao parado e fim de carreira mesmo/ amigo Eu carrego meu caminhao em Sao Paulo paro em Goiania quase 1000 kms depois/e so para ver os pneus comer uma coxinha e proseguir de novo  ate Paraiso do Norte la e o tempo de descarregar e carregar de volta nao tem esta frescura de ficar parando pra descançar faço isto a quinze anos e to vivinho da silva/isto pra mim e frescura e mais nada

  2. O maior número de mortes no Brasil não é só devido aos motoristas cansados e sim a grande maioria pelas péssimas rodovias. Estreitas, cheias de curvas, sem acostamento e esburacadas.

  3. Estados Unidos, é pais de primeiro mundo, o Brasil ainda esta pensando em si desenvolver. Mas acredito que ainda irá mudar, a conquista vai depender das lutas. E só insistir e exigir o que é lei.

  4. que bela comparaçõ, brasil e estados unidos, aqui não temos fretes justos,caminhoneiro não tem salario digno,estradas ruins,mal sinalisadas,buracos no asfalto,temos estradas de chaõ com pontes de madeira, naõ temos area de descanso,naõ temos segurança,naõ temos policia rodoviaria para orientar e sim para multar; acordem governantes,a realidade do brasil é outra, se querem copiar o estados unidos, copiem tudo,conheçaõ o brasil primeiro depois comparem com outros paizes,trabalhamos muito para sobreviver,naõ por prazer//////

  5. É uma pena que uma quantidade muito grande de colegas de profissão achem que a lei do descanso nos prejudica. Não percebem o círculo vicioso no qual estamos presos há décadas, que é: Quantidade de caminhões maior do que a oferta de carga, o que resulta no baixo valor do frete pela concorrência predatória (tanto entre as empresas quanto entre os autônomos), isto obriga a realização de um maior número de viagens, para compensar o frete baixo; para fazer mais viagens , em uma quantidade suficiente para pagar as despesas e sobrar algum (quando sobra), só trabalhando de domingo a domingo, dormindo mal (aproveitando filas de carga e descarga) e dirigindo mais de 10 horas por dia (normamalmente chega-se até 18 horas dia),  e para aguentar esta rrotina sádica, muitos apelam para rebites, cocaína, etc. Que porcaria de vida é esta? Pois eu acredito que se a lei do descanso for aplicada com rigidez, a partir de agora, a oferta de carga vai aumentar, pois vai ser necessário mais caminhões para compensar os que estão parados descansando ( as viagens levarão o dobro do tempo para ser feitas) , e necessitando de mais caminhões, invertendo assim a relação, passando a ter mais cargas que caminhões disponíveis, e a consequência é o aumento do valor do frete. Só é contra a lei do descanso quem ainda não entendeu os benefícios que ela vai trazer , tanto na saúde, como na parte financeira.   

  6. Muito enganado estao os que pessao que nos Estados Unido, todos ou a maioria dos motoristas parao na area de descanso!A maioria dos motoristas parao nos postos de combustivel. Portanto e um grande engano.Primeiro, o sistema nao e igual ao Americano e sim ao o Europeu.Se voce nao percebeu, toda estas mudancas traram salarios melhores.Amigos, o motorista que dirige por 1000 km sem parar, e como uma bomba relogio, pode explodir a qualquer hora e matar nao so a ele, mas pais, filhos e familhas.Nao vejo vantagem neste tipo de atitude…

  7. Só quero ver uma coisa hoje eu trabalho de seg a sab muitas vezes saio de casa aos dom, onde quero chegar faturo em media R$7.000 com isto entre emprestimos(feitos para manter o meu nome limpo, pois se o mesmo não tiver as gerenciadoras de risco não nos deixam trabalhar, pois já vendi carretas e cavalo mecanico e hoje só tenho um ford cargo 4030 que já tive de renegociar para me manter na profissão), pago em media de quase R$6.000 de dividas com a nova lei creio eu de não faturar mais que R$4.000 por mes, automaticamente meu no vai pros cadastro de inadiplencia ai vai a minha pergunta O MINISTERIO PUBLICO DO TRABALHO VAI ME CONSEDER UMA LIMINAR PARA QUE EU POSSA VOLTAR A TRABALHAR COMTRUBUIR COM AS MINHAS RESPONSABILIDADES OU IRA ME DAR O PERDÃO DAS MINHAS DIVIDAS. Ver uma lei num País de primeiro mundo é facil vizibilizar vagas de estacionamento por imagens de satelite é mais ainda mas ter a pratica de todos os dias, as umilhações sofridas por policiais que deveriam estar lá para te proteger, ai é muito dificil.

  8. O descanso é uma boa nao vejo o por que da resistencia unica coisa que tem de acontecer é tirar essa lei que regulamenta o tamanho dos caminhao para que possa se ter cabines com mais espaço e conforto como nos EUA e outra diferença la os motoristas nao precisam encostar a mao na lona ou na carga tem que faça e aqui no Brasil se voce nao meter a mao no caminhao voce fica dias parar descarregar, ou se nao pagar o famoso cafézinho ou dexa a coca os cara erolam voce.

Deixe um comentário