DAF - Oportunidade 2024

Ministro recebe hoje MUBC e entidades contrárias à greve

Pinterest LinkedIn Tumblr +
Consorcio-Fenatran2024

Nelson Bortolin

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, e a diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), recebem na tarde desta terça-feira (31) dois grupos de caminhoneiros. Às 13h30, será a vez dos representantes dos não grevistas ligados à Confederação Nacional de Transportadores Autônomos (CNTA) e aos Sindicam’s.

Também participará desta primeira reunião o presidente da Unicam, José Araújo China da Silva. Já às 16 horas, serão recebidos os grevistas, liderados  pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC).

Segundo o presidente do Sindicam-SP, Norival Almeida Silva, o encontro às 13h30 será para dar continuidade às negociações em torno da pauta entregue à ANTT dia 27 de junho. Para saber mais, clique aqui. “Nós temos boas expectativas para o encontro. Nossas reivindicações são para que sejam realizados ajustes nas legislações”, disse Norival.

Ele se refere à lei 12.619, que obriga os caminhoneiros a descansarem meia hora a cada quatro horas ao volante e a observarem um intervalo mínimo de 11 horas entre duas jornadas de trabalho. E também à resolução 3.658, que extinguiu a carta-frete e determinou o pagamento dos autônomos por meio de depósito em conta corrente ou através de empresas administradoras de cartões eletrônicos.

As entidades que não aderiram à greve querem ajustes nas duas legislações. Já o MUBC pede a revogação da resolução 3.658 e o adiamento dos efeitos da lei 12.619 por um ano. Veja pauta do movimento, clicando aqui.

O presidente do MUBC, Nélio Botelho, também afirmou à Carga Pesada ter grande expectativa em relação à reunião das 16 horas. “Queremos uma solução. Do jeito que está não pode ficar”, afirmou.

Saiba mais sobre sobre o fim da carta-frete.

Saiba mais sobre a lei 12.619.

Truckscontrol
Compartilhar

3 Comentários

  1. Mauricio Rotta on

    Enquanto eles não decidem nada nós estamos aqui, segurando o trafego e não deixando absolutamente ninguém passar, a morte de um companheiro não vai ser em vão, a presidente Dilma vai ter que ouvir a nossa classe, por amor ou por terror!

  2. Eu concrdo com Norival só precisam de reajustes. principalmente em tarifas sobre o cartao frete e sobre 4 horas e para meia derrepente se alguem preferir andar 6 horas e parar 45 minutos ou andar as 8 e parar 1 na minha opniao isso nao interfere no motorista.

Deixe um comentário